Blog do José Cruz

Busca

Categorias

21/01/2012

Diário espanhol Marca chama brasileiro de "pai" do Telefónica

O jornal Marca que circula neste sábado na Espanha chama o brasileiro Horácio Carabelli de "pai" do Telefónica. Diretor técnico da equipe espanhola, Horácio nasceu no uruguai e naturalizou-se brasileiro. Seu pai já era um famoso projetista de barcos de madeira e ele seguiu a mesma profissão. Sua criação mais recente por aqui é o C30, ou Carabelli 30, com uma proposta esportiva e (relativamente) barata. Horácio foi chamado para fazer parte da equipe de terra do Brasil 1, que navegou a Regata Volta ao Mundo 2005/2006, mas seu papel acabou sendo tão importante que ele foi "puxado" para dentro do barco e fez a regata. Horácio também trabalhou ao lado de Torben Grael na campanha vitoriosa do Ericsson 4 (em 2008/2009). Agora, como diretor técnico do projeto espanhol, Carabelli não veleja mais, mas supervisionou toda a construção e é o homem chave do projeto, responsável em boa parte pela melhor campanha espanhola na regata até agora.

Por Antonio Alonso às 19h35

Flotilha da Volta ao Mundo larga amanhã para trecho odiado por skippers

Nesse momento, todos os seis veleiros que competem na Regata Volta ao Mundo estão se preparando para largar amanhã, às 6h da manhã no horário brasileiro de verão, para o trecho mais odiado pelos velejadores da Regata Volta ao Mundo. O porto secreto foi finalmente revelado, e é, como eu já disse aqui várias vezes, Male, nas Maldivas. Não haverá transmissão ao vivo pela internet ou pela TV.

Resumindo essa perna, ela pode ser dividida em três partes. A primeira deve ser uma navegada quente e lenta (chata mesmo) em direção ao estreito de Malaca. Principal passagem comercial entre os oceanos Índico e Pacífico, esse lugar bomba. Os velejadores podem esperar encontrar de tudo: navios, pequenos pesqueiros, redes e armadilhas de pesca, troncos de árvores... Só TVs, sofás e armários que não. Isso por enquanto, só na nossa baía de Guanabara.

Mas adivinhem o que tem muito lá no estreito de Malaca, entre a Indonésia e a Malásia? Sim, pirataria. Mas, ao contrário da costa da Somália, essa pelo menos é uma região mais fácil de monitorar. Ali dos ventos devem ser favoráveis, mas tempestades podem ocorrer. Os veleiros entram no estreito pela parte norte e saem pelo sul (veja o mapa no vídeo acima). Dali, começam uma jornada para o norte rumo ao destino final, Sanya, que fica em uma ilha no sul da China. Essa subida, em águas rasas e com ventos contrários deve ser bastante complicada. Foi mais ou menos por ali que, na edição passada, vários barcos quebraram e praticamente todos precisaram parar e se refugiar em uma ilha enquanto a tempestade passava. Se você lembrar que esses barcos encaram os piores mares e ventos do mundo, é espantoso imaginar que eles precisaram parar. Mas vento muito forte "na cara" (contravento) é algo que nem esses nem nenhum outro veleiro no mundo gosta de encarar. O barco pula, bate nas ondas, e – alguma hora – quebra. As águas rasas da região também favorecem as correntes, mais um complicador. Como o skipper do Camper disse, esta é uma etapa que os espectadores gostam, mas que os skippers odeiam.

 

Por Antonio Alonso às 10h11

20/01/2012

Vídeo: Maior onda de todos os tempos em Teahupoo (pra quem se acha casca grossa)

Essa aqui é mais uma que eu vi no Blog Vento e Som, do Narciso Reinato. Aconteceu dia 27 de agosto do ano passado, durante o "esquenta" para o Billabong Pro, em Teahupoo, no Tahiti, na Polinésia Francessa. Segundo o Narciso, nesse dia a marinha francesa soltou um aviso de código vermelho duplo e ameaçou prender quem entrasse na água. Acho que faltou policial com coragem de entrar na água pra prender a galera.

Como era véspera de grande campeonato, vários feras estavam por lá, entre eles Kelly Slater. Mas também estava Chris Bryan, que fez essas imagens de um dia que vai ficar na história. Eu nunca tive dúvida nenhuma, eu "não" sou casca-grossa e nem precisava ver esse vídeo pra saber disso. Eu levo caldo em onda de um metro e meio, consigo dar cinco chutes na minha própria cabeça e  saio desgostoso. Mas se você acha que é durão, vale a pena ver o vídeo.

Até o Kelly Slater saiu impressionado nesse dia. Ele descreveu o sentimento do dia: "Foi aterrorizante pelas vidas dos outros que estavam em perigo durante todo aquele dia. É vida ou morte. Uma única vez que você solta aquela corda [do jet que reboca os surfistas para entrar nas ondas] pode mudar sua vida para sempre. E pouca gente vai experimentar e saber o que isso significa…". 

Eu certamente não vou. Punk.

Por Antonio Alonso às 00h34

Brasileiro de Optimist: Rodrigo Luz e Leonardo Lombardi vão empatados para o último dia

Rodrigo Luz lidera o Brasileiro de Optimist no critério de desempate. Foto: Luis Ventura

Na quinta eu coloquei aqui uma foto do velejador Leonardo Lombardi, do Charitas, de Niterói. Na foto, ele aparecia cheio de vontade, tirando o máximo de sua caixinha de sabão no meio de uma regata. Pois bem, este sábado vai ser o último dia do Campeonato Brasileiro de Optimist em Porto Alegre, e Leonardo Lombardi encostou no líder Rodrigo Luz, do ICRJ. Os dois agoras estão empatados em pontos após 12 regatas, com Rodrigo na frente graças ao desempate. É excelente ver a nova geração batalhando assim e mostrando garra. Seja quem for o vencedor, os dois saem ganhando.

Da assessoria do Jangadeiros: A emoção tomou conta do Clube dos Jangadeiros na reta final do 40º Campeonato Brasileiro da Classe Optimist. Faltando apenas mais um dia de competição, a disputa não poderia estar mais acirrada. Depois de 12 regatas, Rodrigo “Tintin” Luz, do Iate Clube do Rio de Janeiro, ocupa a primeira colocação, só que com o mesmo número de pontos do segundo colocado, o velejador Leonardo Lombardi, do Clube Naval Charitas, de Niterói. O terceiro lugar é do gaúcho Thiago Ribas, do Veleiros do Sul, seguido pelo atual campeão brasileiro, Gabriel Elstrodt, do Yacht Club Santo Amaro. E amanhã (sábado – 21/01), a decisão promete. A previsão é de mais três regatas, ventos fracos e pancadas de chuva. Uma prova de fogo para os 122 competidores, de oito estados, que participam do campeonato.

Nesta sexta-feira (20) foram realizadas mais três provas. Em dia inspirado, Leonardo Lombardi alcançou o mesmo número de pontos do primeiro colocado, Rodrigo Luz, que ainda leva vantagem por ter um maior número de primeiros lugares. Quem também teve uma atuação impecável nesta sexta foi Pedro Zonta, do Clube dos Jangadeiros. O jovem velejador venceu simplesmente as três regatas que disputou, subindo três posições na classificação geral e terminando o dia em sexto lugar.

Mas Leonardo Lombardi está na cola, e de olho no título. Foto: Luis Ventura

Por Antonio Alonso às 00h16

Regata Volta ao Mundo recomeça neste domingo, após drible em piratas

 

Sem incidentes com piratas, o navio armado que levou cinco veleiros da Regata Volta ao Mundo pelas águas infestadas de piratas do Oceano Índico chegou às Maldivas. A largada da segunda parte desta perna, que começou em Abu Dabi, acontece no domingo, às sete da manhã no horário brasileiro de verão. Como trata-se apenas de um desvio para fugir dos piratas, e não uma largada oficial, desta vez não haverá transmissão ao vivo.

Para quem não sabe, eu explico rápido aqui. Só no ano passado, mais de 1100 barcos e navios foram sequestrados na costa da Somália e imediações. Os piratas estão bem armados e equipados com barcos rápidos. Para se ter a idéia de como está a situação, a Somália nem tem governo neste momento. É o único país do mundo em que isso acontece. O governo existe, mas só serve para tomar conta da capital, porque fora dali não há lei, polícia ou qualquer presença governamental.

Bem, deixando a geopolítica e voltando à água: Para fugir desses piratas, a Regata Volta ao Mundo mudou as regras e botou todo mundo em um navio com escolta armada para fazer esse trecho. O navio acabou de chegar no "porto secreto".

O barco chinês, Team Sanya, que quebrou no meio do caminho na etapa passada, só chegou agora no tal "porto secreto", mas também está pronto para largar.

Já que a regata deu uma esfriada por conta dessa fuga dos piratas, vou aproveitar um pedido do leitor Marcio para fazer um balanço rápido de como está a regata até agora:

 

1) Telefónica (ESP - projeto Juan Kouyoumdjian) - 71 pontos: Depois de três participações seguidas, a equipe que agora tem o brasileiro Horácio Carabelli como diretor técnico finalente parece ter deslanchado. Venceram as duas primeiras etapas e uma regata costeira. Mas o time do único velejador brasileiro, Joca Signorini, foi último nas outras duas regatas costeiras. Estranho, mas nas pernas longas eles se dão bem melhor. Mas que lugar melhor para ser bom em regatas longas do que numa volta ao mundo?

 

2) Camper (NZL - projeto Marcelo Botin) - 64 pontos: Com reforço do Team New Zealand, lenda da America's Cup, o Camper chegou à segunda posição sem chamar muito a atenção. O barco é bom, a tripulação é boa, mas no momento eles estão mais perto de serem passados pelo Groupama do que de assumir a liderança

 

3) Groupama (FRA - projeto Juan Kouyoumdjian) - 51 pontos: A equipe francesa é respeitada por tudo o que fez principalmente a bordo de trimarãs gigantes. Eles já bateram até o recorde da volta ao mundo a vela sem escalas (em apenas 48 dias). Mostraram personalidade escolhendo caminhos diferentes da flotilha nas duas primeiras pernas. Aliás, erraram feio fazendo isso da primeira vez, e em parte por isso amargam um terceiro lugar, a 20 pontos do líder.

 

4) Puma (EUA - projeto Juan Kouyoumdjian) - 36 pontos: Um dos favoritos antes de a regata começar, o time americano se deu bem mal na primeira perna, com uma quebra de mastro no meio do nada que fez com que eles perdessem mais de duas semanas e não pontuassem na primeira perna. O barco é bom, está sempre na frente e deve incomodar quem está acima deles na tabela. Mas, sem uma quebra do Telefónica, fica bem difícil sonhar com o título.

 

5) Abu Dhabi (EAU - projeto Bruce Farr) - 31 pontos: O projetista Bruce Farr já foi hegemônico nesta regata, mas depois que apareceram os ABN 1 e 2 em 2005, desenhados pelo argentino Juan Kouyoumdjian, Bruce Farr levou uma lavada foi praticamente escurraçado da Volta ao Mundo. Os árabes resolveram resgatá-lo em grande estilo, com a equipe de maior orçamento desta regata. Mas o barco quebrou o mastro com três horas de regata, logo após a largada em Alicante. O veleiro é bom, mas estão pagando caro pela quebra. 

 

6) Team Sanya (CHN - projeto Bruce Farr) - 11 pontos: Em toda regata, tem algum patrocinador que aceita pegar um barco usado, para chegar em último, quebrar pelo caminho mas ganhar alguns momentos de exposição na mídia. E, claro, ajuda a fazer volume numa flotilha tão pequena. Esse é o Team Sanya. Não completaram nenhuma das duas primeiras pernas, e vão apostar todas as fichas nesta terceira, que termina justamente na cidade de Sanya. Como essa perna tem um trecho de ventos contrários e fortes, é muito provável que alguém quebre pelo caminho e o Team Sanya é sempre favorito nessas horas. O barco é ruim. O antigo Telefónica Azul (da edição passada) não é mais competitivo nos dias de hoje. O ponto forte é o skipper Mike Sanderson, que venceu a regata em 2005/2006.

 

Por Antonio Alonso às 12h16

19/01/2012

Soto 40: Brasil surpreende e faz campeão e vice no Circuito Rolex, em Punta

Mitsubishi venceu a primeira competição de Soto 40 da temporada

Podem me chamar de pessimista, mas eu não esperava esse resultado. Especialmente da equipe Mitsubishi, de Eduardo Souza Ramos, que saiu com o título. Como eu já disse aqui, sempre parece que "falta algo" e uma equipe bem preparada e treinada, como eles, não pode ficar no "quase" toda hora. Bom, eles ganharam em Punta e ganharam bem. Na verdade, eu já estava me preparando para levantar da cadeira e bater palma em pé, quando o Mitsubishi começou a querer perder uma competição que estava no bico. Depois de quatro vitórias seguidas nas quatro primeiras regatas, eles começaram a tropeçar. Se fosse depender só da segunda metade do campeonato, o Mitsubishi seria apenas o terceiro colocado. Mas, graças à gordura acumulada no começo, mereceram o título, com um ponto de vantagem sobre o Crioula.

Taí um de quem eu esperava um bom resultado. Até melhor do que o segundo lugar. Os gaúchos do Crioula formaram uma equipe profissional como poucas no Brasil e estão levando a campanha da Soto 40 muito a sério. Comandados pelo jovem ex-velejador olímpico Samuel Albrecht, os velejadores do Crioula chegaram quatro vezes na frente do campeão Mitsubishi, em oito regatas possíveis. Mais do que isso, eles ficaram muito perto do título. Samuca Albrecht desabafou no Facebook nesta quinta contra uma decisão dos juízes que acabou sendo fundamental para o título do Mitsubishi. "Uma pena apenas a decisão da comissao de protesto em ter dado ao Mitsubishi no segundo dia de regatas uma reparação de primeiro lugar, poderia ser a média do campeonato como de costume, porém assim são as coisas no esporte, as vezes temos dois pesos e duas medidas."

O Mitsubishi se envolveu em uma batida com o Negra. Como não tinha culpa, e estava em primeiro, os juízes resolveram dar o primeiro lugar como reparação. Quem acabou ganhando aquela regata foi o Crioula, enquanto o Mitsubishi se retirou. Samuel reclama porque os juízes, em várias outras ocasiões dão outro tipo de reparação, na qual o barco prejudicado fica com uma pontuação equivalente à média de pontos da equipe em todo o campeonato. No caso do Mitsubish, essa média seria 2,37 e o título ficaria com o Crioula. 

Mas Samuca reconheceu também que o Crioula errou quando não podia errar. "Na última regata iria sair o campeão, tendo nós e Mitsubishi uma disputa particular que vencia quem chegasse na frente até a 3 colocação. Nao fizemos uma boa largada, passamos boa parte do tempo atrás recebendo uma marcação forte do Mitsubishi. No final do segundo contravento conseguimos nos misturar com parte da flotilha, acabamos em 4 e eles em 5, o que deu o título a eles por 1 ponto. Foi uma bela disputa. Todas equipes que tiveram aqui velejaram muito bem e estão de parabéns pelo excelente nível da competição."

Mitsubishi e Crioula correram com barcos novos, diferentes dos usados no ano passado. O material está aprovado pelo jeito.

O Circuito Atlántico Sur Rolex ainda não faz parte do Circuito Sul Americano de Soto 40, que rola este ano com regatas no Chile, Brasil e Uruguai. Em Punta, a classificação final da Soto 40 ficou assim:

1) Mitsubishi (BRA) 14 pontos perdidos
2) Crioula (BRA) 15 pp
3) Patagonia (ARG) 17 pp
4) Negra (URU) 22 pp
5) Carioca (BRA) 31 pp
6) Peach Property Group (ARG) 33 pp

Por Antonio Alonso às 23h16

Carioca Rodrigo Luz segue liderando Brasileiro de Optimist no Guaíba

Leonardo Lombardi está em segundo. Alguém duvida que ele está com vontade de melhorar isso? Foto: Luis Ventura

Da assessoria do Jangadeiros - Depois de nove regatas e muita disputa nas águas do Guaíba, o 40º Campeonato Brasileiro da Classe Optimist aproxima-se do fim. Faltando apenas mais dois dias de competição, a liderança é do carioca Rodrigo Luz, o Tintin. O velejador do Iate Clube do Rio de Janeiro venceu até agora seis regatas e soma 12 pontos perdidos. A vantagem para o segundo colocado, Leonardo Lombardi, do Clube Naval Charitas, é de seis pontos. O terceiro lugar é do gaúcho Thiago Ribas, do Veleiros do Sul, seguido pelo atual campeão brasileiro, Gabriel Elstrodt, do Yacht Club Santo Amaro. Entre os velejadores do Clube dos Jangadeiros, o anfitrião do evento, os principais destaques são Pedro Zonta, nono colocado; Phillip Rump, décimo; e Marcelo Gallicchio, décimo quarto.

Na última quarta-feira (18) foi disputado o Campeonato Brasileiro por equipes. Assim como aconteceu em 2011, em águas cariocas, Santa Catarina não deu chances para os adversários e conquistou o título. O time catarinense venceu a equipe dois do Rio de Janeiro na final e o terceiro lugar ficou com São Paulo 2. O Rio Grande do Sul foi representado por dois times: RS 1 e RS 2. As equipes se enfrentaram nas oitavas-de-final, com vantagem para o time número um. Formado por velejadores mais experientes (Pedro Zonta, Phillip Rump, Marcelo Gallicchio, Thiago Ribas e Gabriel Lopes, com Átila Pellin como técnico), a equipe foi até as quartas-de-final, fase em que acabou derrotada pelo time do Distrito Federal.

Os 122 velejadores que disputam o 40º Campeonato Brasileiro da Classe Optimist tiveram uma folga nesta quinta-feira (19) e voltam a competir na sexta (20), a partir das 13h. A previsão é de ventos fracos e muita emoção na raia da Baía da Pedra Redonda, em Porto Alegre, onde a competição está sendo realizada. No sábado, a partir das 13h, acontecem as últimas provas e a definição do campeão. Já no domingo será realizada a cerimônia de premiação do evento, às 19h, no Clube dos Jangadeiros.

Por Antonio Alonso às 22h49

Internautas postam vídeo de "quase colisão" entre navios de cruzeiro no Brasil

Quem me chamou a atenção para essa foi a Andrea Grael. A filmagem foi feita em Búzios, por passageiros. Segundo eles, o MSC Orchestra, que estava parado, quase foi abalroado pelo Costa Pacífica na baía de Búzios. Pode parecer que está tudo sob controle, mas com 293 metros de comprimento, o MSC Orchestra desloca 90 mil toneladas de água (o equivalente a seu peso) quando navega. O Costa Pacífica, que estava em movimento, desloca ainda mais, 114.500 toneladas. Esses navios têm uma inércia gigantesca. Imagine frear uma massa equivalente a 380 Boeing 747-400! Por isso frear, mudar de direção ou acelerar quando estão parados são operações que tomam bastante tempo.

Se você assistir ao vídeo, é legal reparar na suspensão que o navio levanta do fundo. Legal porque isso mostra como esses navios detonam o ecossistema subaquático nessas situações. Imaginem se houvesse ali tocas de peixes, lagostas ou outros crustáceos. Isso é pior ainda nas regiões com corais, porque as partículas de areia matam os pólipos dos corais. 

Algumas vezes o desastre não acontece por sorte. Outras, ele acontece e a gente finge que não vê até que os peixes começem a boiar e feder. Ou quando uma celebridade é atropelada e perde a perna. Martine Grael, filha de Andrea e sobrinha de Lars, contou que já quase foi atropelada por um grande navio desses quando treinava em Búzios. Como esses navios têm manobrabilidade restrita, a situação é realmente perigosa. Abaixo, o mesmo incidente, de outro ângulo.

 

Por Antonio Alonso às 10h00

Carioca Rodrigo Luz assume a ponta do Brasileiro de Optimist

Foto: Luis Ventura/Divulgação

 

Da assessoria do Clube Jangadeiros: Com um desempenho impecável, o carioca Rodrigo Luz, o Tintin, assumiu a liderança do o 40º Campeonato Brasileiro da Classe Optimist. Em um dia de muito sol e ventos fortes, com média de 17 nós e rajadas de 20, o velejador do Iate Clube do Rio de Janeiro venceu as três regatas que disputou. Com isso, Tintin chegou a seis vitórias na competição, 12 pontos perdidos e uma vantagem de seis pontos em relação ao segundo colocado, o jovem Leonardo Lombardi, do Clube Naval Charitas. O terceiro colocado é o gaúcho Thiago Ribas, do Veleiros do Sul, seguido pelo atual campeão brasileiro, Gabriel Elstrodt, do Yacht Club Santo Amaro.

 

Entre os velejadores do Clube dos Jangadeiros, o destaque do dia foi Phillip Rump, que subiu quatro posições na classificação geral e está agora em décimo lugar. Já Pedro Zonta caiu algumas colocações nesta terça, mas ainda está entre os top 10, ocupando o nono lugar. Muito próximo aos companheiros de flotilha está Marcelo Gallicchio, na décima quarta colocação.

 

Ao todo, 122 velejadores de oito estados participam do 40º Campeonato Brasileiro da Classe Optimist. As provas estão sendo realizadas na raia da Baía da Pedra Redonda, em Porto Alegre, e vão até o dia 22 de janeiro. Confira a programação para os próximos dias:

 

19/01 – Quinta feira

Dia Livre.

 

20/01 – Sexta feira

13h - Regatas (individual).

 

21/01 – Sábado

13h - Regatas (Individual).

 

22/01 - Domingo

11h - Regatas em atraso ou regatas (individual).

19h - Cerimônia de Premiação.

Por Antonio Alonso às 01h26

Circuito Atlântico Sul Rolex: Patagonia é o melhor do dia, mas Mitsubishi ainda lidera

O líder Mitsubishi fez um terceiro e um quarto nesta quarta-feira. Foto: Matias Capizzano

 

Que pena. O Mitsubishi estava um orgulho, imbatível nas quatro primeiras regatas... e nesta quarta resolveu escorregar na banana. É verdade que o barco de Souza Ramos continua líder, com três pontos de vantagem sobre outro brasileiro, o Crioula, de Samuca Albrecht… mas eu queria mesmo era ver o Eduardo Souza Ramos rapelando um campeonato de ponta-a-ponta. O cara parece que sempre bate na trave! E olha que esse eu acompanho faz tempo. A impressão que eu tenho é que ele não liga muito… mas não pode ser… Só de Semana de Ilhabela eu posso nomear umas quatro que ele perdeu porque resolveu trocar o barco em cima da hora. Agora, na Soto 40 não tem essa.

Ok, ok, tou pegando no pé, o cara ainda é líder. Aliás, dois brasileiros vão liderando no URUGUAI (eu falei Buenos Aires aqui em outro post). Mas o dia foi do Patagonia, de Beto Alvarez, que venceu a primeira e foi segundo na outra. O gaúcho Crioula venceu uma regata (4º e 1º). 

Os ventos cresceram, e as rajadas chegaram aos 27 nós. Samuca Albrecht conta como foi: "Mais um belo dia de regatas aqui em Punta. Sol e vento de 20 a 25 nós. Hoje tivemos velocidade de 21.5 nós no popa. Na primeira regata largamos escapados e chegamos na quarta posição. Na segunda regata, nos recuperamos fazendo uma boa largada e conseguimos uma boa vitória de ponta a ponta. O melhor do dia foi o Patagonia, que velejou muito bem, fazendo um 1 e 2. Amanhã mais duas regatas e a disputa pelo campeonato promete."

 

Por Antonio Alonso às 01h23

18/01/2012

Folha de S.Paulo: "Oficial que repreendeu comandante de navio vira herói na Itália"

Foto de De Falco, o "herói", publicada na Folha de S.Paulo de hoje

A conversa vergonhosa entre os comandantes Schettino e De Falco repercutiu no mundo todo ontem. Salvo engano crasso da minha parte, este blog foi o primeiro a divulgar uma tradução completa da conversa, que mostra o covarde Schettino dando uma de joão-sem-braço para não embarcar no navio que estava afundando, ainda com centenas de pessoas a bordo. Enquanto Schettino se fazia de tonto, do outro lado da linha o comandante da Capitania dos Portos de Livorno, De Falco, furioso, ordenava que Schettino subisse de volta no navio que tinha abandonado para coordenar o resgate.

Ontem, houve quem achasse exagero cobrar essa responsabilidade (coordenar o resgate) de um único homem, o pobre Schettino. Vale lembrar que ele é um comandante, foi treinado e pago para isso. De Falco virou herói na Itália. A Folha de S.Paulo publicou a foto de um italiano usando uma camisa com os dizeres "Vada a bordo, CAZZO!" (literalmente, vá a bordo, porra!) dita por De Falco durante a conversa. De Falco perde a paciência várias vezes com a covardia de Schettino. Em determinado momento ele chega a dizer que vai encrencar Schettino até a alma, se ele não voltasse para o barco. Quando Schettino reclama que está muito escuro e não se vê nada, De Falco perde a cabeça: "Está escuro e você quer voltar para casa, Schettino? É isso que você quer fazer agora?".

Italiano usa a camisa com os dizeres de De Falco: "Vada a bordo, CAZZO!". Isso me lembra uma camiseta "Cala a boca, Maluf!" que saiu menos de 24 horas depois de um bate-boca entre Maluf e Marta Suplicy durante um debate nos anos 90, acho. 

O áudio em italiano e a transcrição completa da conversa (com tradução sem-vergonha minha) estão num post anterior deste blog. Clique aqui para ouvir e ler.

Assinantes Folha e UOL podem ler a matéria completa clicando aqui.

Por Antonio Alonso às 17h50

Filme sobre a classe Snipe participa de Festival Internacional

O árbitro internacional e fanático da Snipe Ricardo "Blu" Lobato compartilhou essa. O filme "Serious Sailing, Serious Fun", sobre a Snipe uma das classes mais antigas, mais exigentes, mais populares e (para muitos) mais desgastantes de se velejar. Se o filme ganhar o prêmio nesse ITMF Awards (International Movie Trailer Festival), é marmelada. O trailer é sem empolgação nenhuma, mas tem uma parte interessante, bem no final, quando pais e filhos falam sobre a velejada em família. É significativo.

Para saber mais sobre o documentário, clique aqui.

Por Antonio Alonso às 17h34

Programa Segundo Tempo pretende resgatar tradição náutica potiguar

Axel Grael divulgou hoje em seu blog uma excelente notícia. "Bons ventos sopram para o Rio Grande do Norte. Dono de extenso litoral, vários rios e represas ideais para a prática de esportes náuticos, o estado em breve contará com um importante incentivo. O Ministério do Esporte pretende reativar o Programa Segundo Tempo/Navegar, por meio de parceria com o governo estadual. O anuncio foi feito no fim da tarde desta quinta-feira (12.01) pelo secretário nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social, Afonso Barbosa".

O programa deve voltar a utilizar a estrutura implantada quando o Projeto Navegar funcionava em Natal. Além do litoral extenso e belo, Natal é uma das cidades mais privilegiadas do mundo com sol e vento constantes. Demorou para esse projeto voltar a funcionar.

Para ler mais, acesse o blog de Axel Grael clicando aqui.

Por Antonio Alonso às 16h53

Soto 40: Na Argentina, brasileiros dominam primeiras regatas da temporada

Com quatro vitórias em quatro regatas, o Mitsubishi, de Eduardo Souza Ramos, é surpreendentemente (para mim) líder folgado do Circuito Rolex Atlântico Sul, em Buenos Aires. O veleiro uruguaio Negra, bicho-papão dos anos anteriores, está apenas em quarto lugar, e chegou até a bater com o Mitsubishi nesta terça. O vacilo do Negra abriu um espaço que os gaúchos do Crioula aproveitaram e agora ocupam a segunda posição. O outro veleiro brasileiro, o Carioca, é quinto entre os seis participantes.

O capitão do Crioula Team, Samuel Albrecht, aposta na quarta-feira para que o barco evolua na tabela: "Tivemos mais duas regatas com bom vento, de 14 a 20 nós. Fizemos um 2º e um 1º. Subimos para segunda posição na classificação geral e amanha poderemos ter a disputa de até 3 regatas", disse Samuca Albrecht.

Para os Soto 40, o Circuito Atlântico Sul Rolex Cup acaba na próxima quinta-feira. 

 

 

Por Antonio Alonso às 10h07

17/01/2012

Áudio revela que capitão do Costa Concordia ignorou ordem de retornar ao navio para coordenar socorro

Ouça o áudio: Capitão do Costa Concordia ignorou ordem da Capitania de voltar ao navio

 

O comandante do navio Costa Concordia, Francesco Schettino, ignorou por várias vezes uma ordem superior de retornar ao navio para coordenar o salvamento. O Costa Concordia naufragou na Toscana com mais de quatro mil pessoas a bordo. O comandante Schettino, que fugiu sem prestar socorro, está sendo agora investigado por homicídio culposo, naufrágio e abandono do navio. Ele teve a prisão preventiva decretada ontem, pois as autoridades temiam que ele pudesse fugir.

As circunstâncias do naufrágio ainda não foram esclarecidas. Aparentemente, o navio estava fora da rota e o comandante fez uma manobra ilegal. Além disso, no áudio divulgado hoje, fica claro que Schettino ignorou uma ordem superior de voltar a bordo para coordenar o resgate de dentro do navio. Embora ele termine a comunicação dizendo que iria voltar ao navio, testemunhas dizem tê-lo visto no porto, pegando um táxi para o hotel.

O comandante de uma embarcação não é piloto ou motorista. Esse nome, "comandante", tem uma razão de ser. Ele não precisa nem encostar nos comanddos do navio, mas ele é o responsável por coordenar tudo o que acontece a bordo. Inclusive quando o navio está afundando. A conversa é vergonhosa. De Falco, o comandante da Capitania dos Portos, chega a gritar com Schettino, pedindo que ele retorne ao navio. Num determinado momento, quando o comandante do navio diz que não adianta voltar porque está escuro e não se vê nada, De Falco perde a paciência: "Ah, enão está escuro e o senhor quer ir para casa?". Parece que foi exatamente o que Schettino decidiu fazer.

Segue abaixo a descrição da conversa, publicada originalmente no site italiano www.notizie.it.

 

Para informações atualizadas sobre o naufrágio e as investigações, acompanhe o UOL Notícias.

 

Transcrição da conversa entre os comandantes:


Falco: "Aqui é De Falco, de Livorno, falo com o comandante?

Schettino: "Sim boa noite, comandante De Falco»

Falco: "Diga-me o seu nome por favor."

Schettino: "Eu sou o comandante Schettino, comandante»

De Falco:, "Schettino? Ouça Schettino, há pessoas presas a bordo [do navio Costa Concordia]. Agora, você vá com seu barco até a proa do navio, a estibordo. Lá há uma escada. Suba nesta escada e vá a bordo do navio. Va a bordo e me diga quantas pessoas estão lá. Está claro? Estou gravando esta comunicação comandante Schettino…"

Schettino: "Comandante, eu vou te falar uma coisa…"

Falco: "Fale em voz alta. Coloque sua mão na frente do microfone e fale em voz mais alta, ok? ".

Schettino: "Neste momento o navio está inclinado ...."

Falco: "Eu entendo. Ouça: há pessoas descendo pela escada de proa. Você vai subir essa escada na direcção oposta, fique no navio e me diga quantas pessoas e o que há a bordo. Entendeu? Diga se há crianças, mulheres ou pessoas que necessitam de assistência. Diga o número de cada uma dessas categorias. Está claro? Escute, Schettino o senhor foi para o mar e se salvou, mas eu considero isso… realmente muito mal… posso te encrencar. Vá a bordo, merda!"

Schettino: "Comandante, por favor ..."

Falco: "Sem por favor… e agora suba a bordo. Me confirme que o senhor está indo para o navio".

Schettino: "Eu estou na lancha dos socorristas. Estamos aqui, não estou indo a lugar nenhum, estou aqui…"

Falco: "O que o senhor está fazendo, comandante?"

Schettino: "Estou aqui para coordenar os trabalhos de socorro…"

Falco: "O que está coordenando aí? Vá a bordo. Coordene o socorro a bordo do navio. O senhor se recusa?"

Schettino: "Não, não, eu não estou me recusando".

Falco: "O senhor está se recusando a embarcar, comandante? Me diga o motivo pelo qual não vai?"

Schettino: "Não estamos indo porque há outra lancha que parou…"

Falco: "O senhor vai a bordo, é uma ordem. O senhor não deve fazer outras avaliações. O senhor disse que abandou do navio, agora eu estou no comando. O senhor vai embarcar! Está claro? Não está me ouvindo? Vai, me ligue diretamente quando estiver a bordo. Meu socorro aéreo está lá"

Schettino: "Onde está o socorro?"

Falco: "Na proa. Depressa. Já há mortos, Schettino. "

Schettino: "Quantos mortos são?"

Falco: "Eu não sei .. Sei de apenas um. Um que eu ouvi. É o senhor que tem que me dizer quantos são, Cristo."

Schettino: "Mas o senhor entende que está escuro… e não enxergamos nada".

Falco: "E o senhor quer voltar para casa Schettino? Está escuro e o senhor quer ir pra casa? Suba pela escada até a proa do navio e me diga o que você pode fazer, quantas pessoas estão lá e que eles precisam. Agora!"

Schettino: "(…) eu estou com o segundo comandante".

De Falco: "Subam os dois então. (...) O senhor e o seu segundo subam a bordo agora. Está claro?".

Schettino: "Comandante, eu quero ir a bordo, mas simplesmente tem outra lancha aqui… onde estão outros outras equipes de resgate. Ela parou e se instalou ali. Agora outras equipes de resgate foram chamadas…"

Falco: "Há uma hora você está me dizendo isso. Agora suba a bordo, suba a B-O-R-D-O!. E me diga imediatamente quantas pessoas estão lá".

Schettino: "Ok, comandante"

Falco: "Vá, agora!"

 

Por Antonio Alonso às 12h02

Mitsubishi, de Souza Ramos, lidera Soto 40 no primeiro dia em Buenos Aires

O Mitsubishi, de Eduardo Souza Ramos, venceu as duas regatas da segunda-feira e começa liderando o Circuito Atlântico Rolex 2012, que tem regatas em Buenos Aires e Punta del Este. A boa notícia é que o barco de Souza Ramos nunca começou tão bem assim, especialmente com o arqui-rival Negra (que ganhou quase tudo no ano passado) na raia. Samuel Albrecht, comandante do Crioula, relatou como foi o dia: "Hoje duas regatas aqui em Punta, vento bem fraco, de 06 a 09 nós. Fomos 2 e 5. Vai Mitsubishi na frente com 1 e 1, depois Negra 5 e 2, Crioula 2 e 5, Patagonia 4 e 3, Carioca 6 e 3 e barco Suíço com 4 e 6. Amanhã vento um pouco mais forte e mais duas regatas."

Por Antonio Alonso às 11h43

16/01/2012

Brasileiro revela vídeo com sucuri gigante que virou hit no Facebook

Em agosto de 2010, o fotógrafo brasileiro Daniel de Granville partiu em uma expedição em busca da sucuri, a serpente mais pesada e uma das maiores do mundo. Em janeiro de 2012, algum amigo dele postou as imagens no Facebook e elas viraram hit instantâneo. Junto com a fama veio também a desconfiança de que as imagens tivessem sido manipuladas. Escrevi para o Daniel, que foi meu colega de turma numa pós em jornalismo científico na Unicamp (em outra vida) e ele me mandou o vídeo que foi feito naquele dia. 

Já que havia dúvidas sobre a autenticidade das fotos, acho que o vídeo ajuda a explicar que o que parece inacreditável é inacreditável mesmo... só que verdade.

Daniel, que mora em Bonito (MS), partiu em expedição com suíço Franco Banfi e o tcheco Jiří Řezníček. Além de Bonito, eles passaram pelo Cerrado, Pantanal e Amazônia. Segundo o brasileiro, ao final da expedição, o comprimento de todas as sucuris fotografadas somou um total de 57 metros!

Franco Banfi e a sucuri que virou hit no Facebook. Foto: Daniel de Granville

Apesar do tamanho, Daniel explicou que eles não se aproximam de animais que acabaram de ingerir alguma presa, nesses casos, o stress pode fazer com que a sucuri regurgite o alimento. Foto: Daniel de Granville

A sucuri é a serpente mais pesada do planeta, e uma das maiores. Foto: Daniel de Granville

Lindo curso de água para um mergulho, não? Pois essa é a "casa" da sucuri fotografada. Foto: Daniel de Granville

Vale a pena visitar o post original do Daniel, em agosto de 2010, no blog Photo In Natura, clicando aqui.

Por Antonio Alonso às 14h40

Circuito Atlántico Sul começa hoje com quatro brasileiros e estreia da classe Soto 33

O Humildad Zero ganhou a Olivos–Buenos Aires, regata de transporte e que não conta pontos para o circuito. Foto: Claudio Cambria

O Circuito Rolex Atlántico Sul começou nesta segunda-feira, às 13h, com regatas apenas para a Soto 40 e para a Soto 33. Essas duas classes não correm a regata de longa distância Buenos Aires–Punta del Este, e por isso têm um calendário diferenciado. 

Para os brasileiros, eu vejo duas coisas interessantes. Uma, é a estreia do Soto 33, um barco que provavelmente nunca vai pegar por aqui, mas é interessante por ser irmão mais novo da Soto 40. Nunca vai pegar por aqui porque acabamos de lançar a Carabelli 30 e, a menos que esses barcos sejam distribuídos de graça, o mercado não tem espaço para duas classes one design de tamanhos tão próximos e de proposta tão parecida. A outra é a participação de quatro barcos brasileiros.

Na Soto 40, metade da flotilha de seis barcos é brasileira: Carioca (de Robertão Martins), Phoenix V (Souza Ramos) e o novo Crioula (de Eduardo Plass, mas com Samuca Albrecht no comando). Detalhe para o Crioula, que é o único barco que vai largar com apenas nove tripulantes inscritos, os outros todos têm 10. Ainda não sei o motivo.

O outro barco é o Tembó Guaçu, o antigo Loyal, que ainda vai correr com Marcelo Massa, o antigo dono, prestando consultoria para os novos proprietários campineiros. O barco, aliás, aparentemente vai correr sob a bandeira de um improvável iate clube da cidade de Campinas, no interior de SP (!!!). O Judel Vrolik 48 é o maior dos únicos três barcos inscritos na ORC-i 610, portanto a responsabilidade é grande. Para fazer um bom papel, os campineiros terão de chegar bem à frente dos concorrentes.

Além de um saudável encontro esportivo, para alguns barcos, participar dessas competições fora do Brasil é uma maneira de unir o  útil ao agradável, já que o Brasil proíbe a importação de barcos usados, e esses veleiros são obrigados a sair periodicamente do país.

Por Antonio Alonso às 14h00

15/01/2012

Costa Concordia: Jornais italianos divulgam vídeo que mostra que garrafa não quebrou durante o batismo

O jornal "Corriere della Sera" foi um dos primeiros a divulgar o vídeo do batismo do Costa Concordia, que naufragou na costa da Toscana nesta sexta. O detalhe que chama a atenção vídeo, de 2006, é o fato de a garrafa de champanhe não ter se quebrado contra o casco. No áudio, em italiano, é fácil ouvir o desapontamento do público quando a garrafa não quebra.

O mar é um ambiente cheio de superstições. E nem poderia ser diferente, dada a história de riscos e fortunas que o homem construiu navegando. Segundo as investigações feitas até o momento, o naufrágio do Costa Concordia aconteceu porque o comandante saiu da rota prevista e fez uma manobra proibida. 

O comandante teria dito que as rochas onde ele bateu não estavam nas cartas náuticas que ele tinha a bordo. Isso já é estranho, porque o Mar Mediterrâneo é extremamente bem mapeado e esses navios são obrigados a ter todas as cartas náuticas da região onde navegam. Garrafas não afundam navios. O excesso de confiança e falta de responsabilidade, sim.

O naufrágio do navio Costa Concordia, com mais de 4000 pessoas a bordo, incluindo 53 brasileiros, está entre os piores acidentes náuticos recentes. Até agora, não há notícias de brasileiros entre os desaparecidos. São três mortos confirmados até agora, mas ainda há gente presa no navio. Na noite deste sábado, as equipes de socorro encontraram mais um passageiro, que ainda não pôde ser socorrido. Para chegar até ele, as equipes de resgate teriam de atravessar áreas alagadas do navio.

Saiba mais sobre o acidente


Passageiro filma desespero durante a evacuação

Por Antonio Alonso às 10h50

Volta ao Mundo: Segundo colocado, Puma fica no quase de novo. O que acontece com os americanos?

Antes desta regata começar, eu ainda estava trabalhando para a revista Náutica e fui convidado para ir aos Estados Unidos ver o lançamento do Mar Mostro, o barco da Puma. Os caras claramente começaram essa corrida com status de favoritos. Não isolados, mas favoritos. No lançamento, o capitão Ken Read disse alguma coisa do tipo: "Não digo que só a vitória nos interessa, mas nosso objetivo é ficar melhor do que da outra vez". Na outra vez, eles terminaram em segundo, atrás do Ericsson, de Torben Grael. 

O sprint deste sábado, de apenas 106 milhas, foi uma briga das boas, melhor do que eu esperava. O vídeo acima foi editado antes da vitória do Abu Dhabi (que começou em últmo), mas mostra como o percurso da largada foi movimentado, com várias trocas de posição. 

Mas esse post é dedicado ao Puma. Os caras têm um barco bom, uma tripulação experiente... e continuam com a pinta de que vão ficar no quase. Tá certo, na primeira perna eles quebraram quando tinham chances de ganhar a perna e a história poderia ter sido outra... Mas não foi.

No percurso triangular logo após a largada, o Puma foi ultrapassado duas vezes pelo Groupama, o que deixou claro que, pelo menos em algumas condições de vento, o barco francês é superior. O que os tripulantes me disseram lá nos EUA é que eles esperavam que o Puma fosse um barco melhor para ventos médio-fortes e de través. Eu acho que os resultados até agora ainda não mostram isso.

Talvez falte um pouco de sangue nos olhos no comando. Ken Read é o maior nome da história da classe J/24. É muito, mas é pouco. Ken é um cara calmo, que valoriza sua equipe e sabe que entrou nessa regata pra ganhar. Mas ainda falta o diferente. Torben Grael tinha o diferencial na última regata. O projeto do ABN Ambro era o diferencial na anterior. O Puma não tem. Tá certo que nem líder Telefónica e nem qualquer outro time mostrou esse diferencial até agora. Eu espero que ele venha do Groupama, que nas duas pernas já disputadas tentou fazer uma tática diferente. Eu acho que os times ainda não mostraram quem são, e isso faz diferença.

Por enquanto, o Telefónica mostrou que o brasileiro Horácio Carabelli fez um excelente trabalho na direção do projeto. Mas na água, todo mundo ainda está muito igual.

Onde eles estão? Neste momento, os cinco barcos que largaram de Abu Dabi estão num navio, a caminho das Maldivas, onde largarão para a segunda parte desta terceira perna, rumo a Sanya, na China.

Por Antonio Alonso às 01h55

Sobre o autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estréia agora seu blog no UOL.

Sobre o blog

A Vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ou pelo menos o sucesso dos esportistas não representa o sucesso do esporte. A Vela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Apenas dois clubes, com umas poucas centenas de sócios, respondem pela maior parte do sucesso olímpico nacional. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Wake, esqui e motonáutica também devem ser assuntos frequentes por aqui. Bem-vindo a bordo.

Histórico

© 1996-2011 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.