Blog do José Cruz

Busca

Categorias

28/07/2014

Sem Souza Ramos, Pajero é campeão da Semana de Vela de Ilhabela

Embarcação da classe S40 foi a melhor após seis regatas nas águas do litoral norte de São Paulo

A Semana de Ilhabela terminou, e o blogueiro continua se fazendo de morto. Nem a frente fria que fez os barcos voarem na sexta-feira, nem o acidente com o Samsara animaram o blogueiro a escrever uma linha sequer sobre o mais importante evento de Vela da América Latina* (#subjudice). Mas hoje chego aqui e recebo um release da Mitsubishi Motors, sem dúvida uma protagonista da própria existência desse evento, chamando a competição pelo nome brasileiro, sem firulas de Sailng Week metida a besta. Obrigado, pessoal, aos poucos retorna minha fé na humanidade* (#peronomucho).

E agora o belo release da Semana de Vela:

Além de tudo, o barco está mais bonito do que nunca. Fotos de Marcos Méndez / SailStation

Com uma embarcação da classe S40, considerada um dos mais modernos barcos da vela de oceano pela sua tecnologia e performance, os tripulantes do Mitsubishi Pajero venceram três, das seis regatas disputadas, abrindo uma vantagem de dois pontos sobre o segundo colocado.

"Foi um grande resultado. O entrosamento da equipe superou todas as dificuldades", comentou André Fonseca, o Bochecha, timoneiro da tripulação.

A equipe chegou confiante à Ilhabela após o vice-campeonato mundial de TP52 na Itália. O próximo desafio da tripulação será a Copa do Rei, tradicional competição de oceano em Palma de Mallorca, na Espanha, que começa no dia 4 de agosto. "Como treino, Ilhabela foi importantíssima. Antes da próxima regata, só teremos tempo de sair do barco e entrar direto no avião", brincou Bochecha.

Mitsubishi na Semana de Vela

Além de estar competindo nas águas, a Mitsubishi Motors é patrocinadora da Semana de Vela de Ilhabela há mais de 20 anos. "A Mitsubishi sempre foi grande incentivadora do esporte nacional. Não só nos ralis e competições a motor, como também na vela. Para nós, é muito importante fazer parte de eventos como esse, que reúne grandes nomes, não só do Brasil, como do exterior", explica Fernando Julianelli, diretor de marketing da Mitsubishi Motors.

 

Por Antonio Alonso às 11h29

21/07/2014

C30: 'Mais Realizado' vence na abertura em Ilhabela

 

Veleiro de Ilhabela supera vento fraco e favoritos para vencer a competitiva classe C30 na primeira regata da 41ª edição do principal evento náutico da América Latina

Mais Realizado (topo) venceu na C30. As belas fotos, um pouco saturadas demais são do Marcos Mendez/SailStation

 

Da ZDL - Em um dia difícil para a maioria dos 130 barcos inscritos na Ilhabela Sailing Week, o Mais Realizado superou o vento fraco aproveitando a experiência da tripulação bem entrosada e acostumada aos ‘atalhos’ das raias de Ilhabela. Correndo na competitiva classe C30, o veleiro local venceu a Regata Toque-Toque por Boreste com uma milha (1.8 km) de vantagem sobre o segundo colocado Relaxa Next Caixa.

"Mesmo com todas as dificuldades foi um dia super legal para nós", relatou Mário Buckup, timoneiro do barco vencedor. "Até chegar a Toque-Toque, mantivemo-nos em terceiro ou quarto lugar. Na hora de contornarmos a ilha, fizemos um trajeto bem rente e com um rumo mais curto pudemos ultrapassar os adversários. Arriscamos e deu certo, mas tivemos sorte também", afirmou Buckup com humildade. A C30 conta com sete barcos.

"Na volta optamos por velejar junto à costa de São Sebastião e nos demos bem novamente. O ambiente tranquilo a bordo e a regulagem das velas ajudaram o barco a ganhar velocidade", analisou Buckup, bicampeão pan-americano da classe Lightning. "Essa vitória nos motiva ainda mais para as regatas barla-sota (boia a boia) a partir de terça-feira. Vamos comemorar hoje (domingo) porque amanhã é dia de treino". O Mais Realizado superou os favoritos CA Technologies, campeão em 2013 e o Zeus Team, também de Santa Catarina e que chegou na terceira colocação.

Prevaleceu a lógica na HPE - A classe HPE disputou a Regata Renato Frankenthal, no mesmo percurso da C30 e dos barcos menores da RGS. O atual campeão Ginga, de Ilhabela, confirmou o favoritismo em meio a uma flotilha de 22 veleiros. Cruzou a linha de chegada à frente do Artemis e do Take Ashauer, ambos também de Ilhabela. O Fit to Fly, vice em 2013, foi o quinto na prova de abertura da Ilhabela Sailing Week.

"Com um vento que mal chegou a oito nós (14 km/h), foi um anda e para o tempo todo. Começou na direção sul e depois virou para leste", relatou Henrique Haddad, o Gigante, timoneiro do Fit to Fly. "Cruzamos a linha cinco minutos antes do horário limite, 17h". O velejador carioca, em campanha olímpica para o Rio 2016 na classe 470, chegou a pensar que a regata poderia ser anulada por falta de luz natural. A HPE não possui luzes de navegação e apenas oito veleiros chegaram dentro do prazo estabelecido.

Sem vento, retorno é antecipado - A Regata Alcatrazes por Boreste - Marinha do Brasil, com 60 milhas náuticas (110 km), foi árdua para os alguns dos barcos que teriam de contornar o arquipélago, devido à falta de vento, o que provocou várias desistências. "Diante da situação adversa, a tripulação do Miragem, do Rio de Janeiro, optou por retornar mais cedo ao Yacht Club de Ilhabela. "Entramos em um buraco de vento e não tínhamos como recuperar. Ficamos parados na Ponta da Sela (extremo sul de Ilhabela), com vários barcos ao redor e não havia como sair do canal para chegar lá fora, no vento leste", justificou o timoneiro Fábio Bodra.

A tripulação do Miragem, assim como outras que enfrentaram a calmaria, preferiram evitar o desgaste para priorizar os treinos nesta segunda (21), dia livre para os velejadores que só voltam a competir na terça-feira. O Tapioca, de Paraty, também retornou sem chegar a Alcatrazes. "O vento estava muito fraco, Não valia a pena ficar insistindo. Para não perdermos o dia, ligamos o motor e fomos dar um passeio próximo à Alcatrazes. Começamos a festa mais cedo", comentou cansado, porém, bem humorado, Vitor Oliveira, proeiro do Tapioca.

Regata principal - A Comissão de Regatas estava preparada para receber os barcos que seguiram a Alcatrazes até durante a madrugada desta segunda-feira (21). No início da noite deste domingo, apenas três embarcações da classe S40 haviam cruzado a linha de chegada ao sul de Ilhabela. O vencedor foi o Carioca, conduzido por André Mirsk. O segundo colocado, o Pajero Mitsubishi, com André "Bochecha" Fonseca no leme, concluiu o percurso 3min32 depois. O terceiro foi o Crioula, com Samuel Albrecht, a 53mi13 do ganhador.

A Ilhabela Sailing Week tem a organização do Yacht Club de Ilhabela e os patrocínios de Mitsubishi Motors, Banco do Brasil e Correios. As regatas no Canal de São Sebastião reunirão embarcações das classes S40, ORC, IRC, C30, HPE-25, RGS, RGS Cruiser, Clássicos e Star, sendo que as regatas de ORC e Star também serão válidas pelo Campeonato Sul-americano de ambas as classes.

Programação da 41ª Ilhabela Sailing Week
21/7 - segunda-feira
Dia livre para todas as classes

22/7 - terça-feira
12h - Regatas Barla-Sota (todas as classes - exceto Clássicos)
17h - Premiação - Regata Alcatrazes
20h - Coquetel dos comandantes

23/7 - quarta-feira
10h - Regata de Percurso ou Barla-Sota (todas as classes - exceto Clássicos)
17h - Confraternização e música ao vivo no YCI

24/7 - quinta-feira
12h - Regatas para todas as classes
17h - Confraternização no YCI
20h - Prêmio Revista Iate - sede do ICS

25/7 - sexta-feira
12h - Regatas para todas as classes
17h - Premiação por Equipes - Show com a banda Tom Cats

26/7 - sábado
12h - Regatas finais para todas as classes
17h - Confraternização no YCI
20h - Premiação - Entrega de prêmios aos vencedores de todas as classes participantes da 41ª Ilhabela Sailing Week, XVII Campeonato Sul-americano da classe ORC e XLV Campeonato Sul-americano da classe Star.

Programação cultural na Vila
21/7 - segunda-feira
22h - Brothers of Brazil

22/7 - terça-feira
22h - Zeca Baleiro

23/7 - quarta-feira
20h - Tributo a Luiz Gonzaga
Cinema: "Gonzaga, de Pai para Filho"
Show: Chambinho do Acordeon

24/7 - quinta-feira
22h - Bamboa Samba Club

25/7 - sexta-feira
19h - Cinema: Documentário "Mar Me Quer", de Isabella Nicolas
20h - XI Mostra de Dança da Fundaci

26/7 - sábado
20h - XI Mostra de Dança da Fundaci   

Por Antonio Alonso às 12h20

17/07/2014

#vaitersemanadevela

A primeira notícia é: o blogueiro não morreu, embora todos os indícios apontassem para o contrário. A outra notícia, muito mais importante, é que #vaitersemanadevela. Recebi da ZDL a notícia abaixo, que me avisa que o meteorologista João Hackerott, o famoso irmão da Mirinha, prevê que a competição vai começar com os motores roncando, graças à influência de uma frente fria neste fim de semana. Todos os dias, antes das regatas, João apresentará um briefing da previsão para a raia. Trata-se de um luxo que normalmente apenas as equipes profissionais têm. Mas isso aqui é Semana de Ilhabela!

Foto: Flávio Perez

Meteorologista fará briefing para equipes nos dias de regata

Da ZDL- A empresa de meteorologia Tempo OK! será a responsável por fornecer as informações sobre o tempo à Comissão de Regatas (CR) da 41ª Ilhabela Sailing Week, no período do maior evento náutico da América Latina, entre 19 e 26 de julho, que está reunindo 130 embarcações. A previsão será atualizada a cada hora, para que os juízes tenham a exata noção de como a regata deve se desenvolver em relação ao vento no Canal de São Sebastião. A primeira previsão é de que na Regata Alcatrazes por Boreste - Marinha do Brasil, os barcos estarão sob a ação do final de uma frente fria, o que deve pode acelerar a prova de abertura no domingo (20), com ventos na ordem de 15 nós (27 km/h) na direção sudoeste. 


O serviço, fundamental para se traçar a estratégia a ser adotada em uma regata, não será exclusivo à CR. Antes do embarque das tripulações para as regatas de cada dia, o velejador João Hackerott, responsável pelas previsões da Tempo OK! para os eventos náuticos, apresentará no Yacht Club de Ilhabela um ‘briefing’ sobre as condições de vento no dia de cada regata. Para as tripulações que desejarem obter um serviço meteorológico completo, em modelos de alta resolução, a empresa oferecerá uma previsão personalizada, em condições especiais para os inscritos na Ilhabela Sailing Week. Para informações sobre a consultoria particular, é necessário enviar e-mail para contato@tempook.com.br, com o título: ‘Previsão para ISW’.

"A regata até Alcatrazes ainda está um pouco longe para sermos precisos, mas os modelos indicam uma frente fria chegando ao litoral norte de São Paulo na sexta feira (18) o que deve proporcionar ventos de média intensidade, de até 15 nós no domingo", prevê Hackerott, formado em meteorologia pela USP, onde também concluiu mestrado em Ciência Atmosférica.

Roupa de tempo - Acostumado a velejar nas classes Laser e Lightning pelo Yacht Club Santo Amaro (YCSA), Hackerott sugere que as tripulações que contornarem Alcatrazes estejam bem preparadas para cumprir o percurso de 60 milhas (110 km). "Apesar da previsão de sol para a tarde de domingo, as temperaturas não passarão de 20°C, o que exigirá que os velejadores estejam bem agasalhados. É fundamental manterem-se aquecidos a bordo. A parte boa é que o retorno do arquipélago para o Yacht Club de Ilhabela deverá ser rápido, provavelmente de balão". O recorde da regata pertence ao S40 Cusi 5. Impulsionado pela entrada de uma frente fria, o veleiro argentino estabeleceu o tempo de 6h12m26 em 2009.

A montagem da raia em Ilhabela, principalmente quando o vento não tem direção predominante, costuma dificultar o árduo trabalho da CR no posicionamento das boias para que a raia ofereça a melhor condição possível de velejada. Uma previsão de vento mais precisa pode agilizar os processos que antecedem a largada. "A maior ajuda está na escolha correta do local da raia. A informação prévia pode evitar, por exemplo, que se perca até duas horas na indefinição entre sul e leste até que o vento se firme", avalia o diretor do Comissão de Regatas, Carlos Sodré, o Cuca.

"Outro fator muito importante que você pode reforçar diante de uma previsão de ventos fortes, é a segurança. Com a informação passada pela Tempo OK! para a abertura da Ilhabela Sailing Week, já emitimos um aviso às tripulações para que guarneçam suas embarcações na marina do clube a partir desta sexta-feira (18). Mesmo em regata, a previsão nos oferece condições de mantermos os velejadores em segurança. Essa é a prioridade", reforça Cuca.

Prestígio entre os velejadores - A Tempo OK, fundada por velejadores, está presente na Ilhabela Sailing Week desde a 39ª edição, em 2012. "Entre os dias 21 e 25 (segunda a sexta-feira) o sol voltará ao litoral norte com temperaturas de até 25 °C e vento leste variando de 5 a 15 nós. No sábado (26), outra frente fria poderá entrar para fechar a competição", estima Hackerott. No ano passado, a Tempo OK! prestou serviços ao Iate Clube do Rio de Janeiro no 63º Circuito Rio, incluindo-se a Regata Santos-Rio, e para a Refeno, Regata Recife-Fernando de Noronha, entre outros eventos náuticos.

O medalhista olímpico Lars Grael correu a última Santos-Rio no Magia Energisa, barco do irmão Torben, Fita Azul da prova, e durante o percurso trabalhou com as informações passadas pela Tempo OK!. "Constatamos na regata que a previsão foi extremamente precisa. Acertou na direção e intensidade do vento e no momento certo. A Tempo OK! torna a ‘singradura’ de um velejador mais precisa, mais previsível, prazerosa e segura", considera Lars que disputará o Sul-americano de Star na Ilhabela Sailing Week. "A comunidade da Vela vai se beneficiar de um site (www.tempook.com.br) especializado para nosso esporte no Brasil".

A Ilhabela Sailing Week tem a organização do Yacht Club de Ilhabela e os patrocínios de Mitsubishi, Banco do Brasil e Correios. As regatas no Canal de São Sebastião reunirão embarcações das classes S40, ORC, IRC, C30, HPE-25, RGS, RGS Cruiser, Clássicos e Star, sendo que as regatas de ORC e Star também serão válidas pelo Campeonato Sul-americano de ambas as classes.

Programação da 41ª Ilhabela Sailing Week
18/7 - sexta-feira
9h - Abertura da secretaria no YCI (até 23h)

19/7 - sábado
9h - Abertura da secretaria no YCI (até 23h)
19h30 - Cerimônia de Abertura da 41ª Ilhabela Sailing Week

20/7 - domingo
10h - Regata Alcatrazes por Boreste - Marinha do Brasil
Classes e Divisões: ORC, IRC, S40, BRA-RGS (A e B) e RGS Cruiser
10h10 - Regata Renato Frankenthal - Classes e Divisões: HPE25 e Star (regata treino)
10h20 - Regata Ilha de Toque-Toque por Boreste
Classes e Divisões: BRA RGS C, Clássicos e C30

21/7 - segunda-feira
Dia livre para todas as classes

22/7 - terça-feira
12h - Regatas Barla-Sota (todas as classes - exceto Clássicos)
17h - Premiação - Regata Alcatrazes
20h - Coquetel dos comandantes

23/7 - quarta-feira
10h - Regata de Percurso ou Barla-Sota (todas as classes - exceto Clássicos)
17h - Confraternização e música ao vivo no YCI

24/7 - quinta-feira
12h - Regatas para todas as classes
17h - Confraternização no YCI
20h - Prêmio Revista Iate - sede do ICS

25/7 - sexta-feira
12h - Regatas para todas as classes
17h - Premiação por Equipes - Show com a banda Tom Cats

26/7 - sábado
12h - Regatas finais para todas as classes
17h - Confraternização no YCI
20h - Premiação - Entrega de prêmios aos vencedores de todas as classes participantes da 41ª Ilhabela Sailing Week, XVII Campeonato Sul-americano da classe ORC e XLV Campeonato Sul-americano da classe Star.

Programação musical na Vila
19/7 - sábado
20h - Orquestra Popular de Ilhabela
22h - Arnaldo Antunes

20/7 - domingo
22h - Ira!

21/7 - segunda-feira
22h - Brothers of Brazil

22/7 - terça-feira
22h - Zeca Baleiro

23/7 - quarta-feira
20h - Tributo a Luiz Gonzaga
Cinema: "Gonzaga, de Pai para Filho"
Show: Chambinho do Acordeon

24/7 - quinta-feira
22h - Bamboa Samba Club

25 e 26/7 - sexta e sábado
20h - XI Mostra de Dança da Fundaci

Site e fan page estão no ar - A 41a. edição da Ilhabela Sailing Week já tem site e fan page no ar. 

Por Antonio Alonso às 12h13

27/06/2014

Gaúchos são Brasil no Mundial Universitário de Match

Velejadores do Veleiros do Sul participarão do Campeonato Mundial Universitário de Vela de Match Race que ocorre entre os dias 29 de junho e 5 de julho no Lago di Ledro em Trentino na Itália. Duas equipes femininas e uma masculina representam o país.

Philipp Grochtmann, Rodolfo Streibel, Vilnei Goldmeier e Frederico Sidou, todos do Veleiros do Sul (terceiro lugar no Match Race Brasil 2013), serão a equipe masculina, enquanto no feminino Marina Jardim, Adhara Ginaid, Ana Clara Mantovani e Mariana Gliesch Silva (VDS) formam uma equipe e Juliana Mota, Maria Hackerott, Juliana Duque e Amanda Rodrigues são a segundo time que defende o Brasil.

As equipes embarcaram nesta quinta-feira acompanhadas por Nelson Ilha, presidente da Associação Brasileira de Match Race (Abramatch) que chefiará a delegação brasileira. Todos os velejadores passaram pelas clínicas e projetos desenvolvidos pelo Veleiros do Sul nos últimos anos na classe Match Race. Participam do evento atletas com idade entre 18 e 28 anos e estar cursando graduação, pós-graduação, mestrado, doutorado ou ter concluído o curso nos últimos seis meses.

Confira o site da competição: http://wuc2014.avll.it

Por Antonio Alonso às 17h01

15/06/2014

Frustrado, Scheidt termina Europeu de Laser em 5º

Brasileiro esperava poder "mudar bastante coisa" com duas regatas previstas, mas a falta de vento acabou mantendo a classificação de quinta-feira e dia ruim pesou para Robert Scheidt.

Fotos: Thom Touw

Da Local da Comunicação - Faltou vento na raia de Split, na Croácia, e o que era para ser um encontro de campeões na decisão do Europeu de Laser, com Robert Scheidt e Tonci Stipanovic protagonizando o duelo Brasil x Croácia da vela, terminou sem emoção. Com o cancelamento das regatas deste sábado (14), a classificação da sexta-feira foi mantida, consagrando o croata Stipanovic, que velejava em casa, como campeão. Líder do ranking mundial da classe, Scheidt ficou com o quinto lugar.

“Esperamos o dia todo para velejar, mas novamente não tivemos regatas. Saio daqui um pouco desapontado, pois não tive a oportunidade de reagir e descartar o meu único resultado ruim na competição. Com uma ou duas provas, a classificação do Europeu poderia mudar bastante, mas não podemos controlar o vento”, lamentou Scheidt, dono de cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais, entre Laser e Star.

Os ventos fracos marcaram todo o Europeu de Laser, que foi encurtado para seis regatas, das 12 previstas no programa. Ainda assim, Scheidt mostrou regularidade, vencendo uma prova e terminando entre os cinco primeiros em outras quatro. “Estou velejando com uma boa velocidade, mesmo nessa condição de ventos fracos. Agora vou me concentrar no evento-teste no Rio de Janeiro. Devo descansar alguns dias, antes de iniciar a preparação para competir na raia olímpica dos Jogos de 2016”, aponta o brasileiro, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

O Aquece Rio International Regatta, primeiro evento-teste para a Olimpíada do Rio de Janeiro, será realizado entre os dias 2 e 9 de agosto. Após a competição, Scheidt segue para o seu principal desafio na temporada, o Mundial de Vela 2014, em Santander, Espanha, em setembro.

 

Campanha de Robert Scheidt em 2014 

 

Ouro na Copa Brasil - Niterói (BRA), janeiro/14

Prata na etapa de Miami Copa do Mundo de Vela - Miami (USA), fevereiro/14

9º na etapa de Palma de Mallorca da Copa do Mundo de Vela - Palma de Mallorca (ESP), abril/14

4º na etapa de Hyères da Copa do Mundo de Vela - Hyères (FRA), abril/14

Ouro na Semana Olímpica de Garda Trentino - Garda (ITA), maio/14

5º no Europeu de Vela – Split (CRO), junho/14

Por Antonio Alonso às 00h47

13/06/2014

Robert Scheidt briga pelo pódio do Europeu de Laser neste sábado

Brasileiro fez um 18º lugar nesta sexta-feira (13), em confronto com o croata Tonci Stipanovic, que compete em casa 

Foto: Thom Touw

Da Local da Comunicação – Um dia após a vitória do Brasil sobre a Croácia por 3x1, na estreia da Copa do Mundo 2014, o jogo mudou entre Robert Scheidt e Tonci Stipanovic, no duelo travado pelos dois países na vela, em Split, Croácia. Número 1 do ranking mundial da Laser, o brasileiro perdeu a liderança do Campeonato Europeu para o adversário croata nesta sexta-feira (13), ao terminar a única regata do dia em 18º, e está agora em quinto lugar na classificação geral.

Os ventos fracos dos últimos dias têm dificultado o desempenho dos velejadores na raia de Split. Na quinta-feira (12), a brisa fraca levou ao cancelamento das regatas programadas para o dia, deixando os competidores livres para acompanhar a abertura da Copa do Mundo. Nesta sexta, após um atraso de mais de duas horas, a flotilha ouro da Laser, que briga pelo pódio, realizou apenas uma regata, com percurso mais curto devido ao vento de apenas 6 nós (10 km/h).

“Infelizmente, foi um dia ruim para mim, aqui em Split. Larguei bem, mas o vento soprou do lado oposto ao que eu estava, e não consegui me recuperar a tempo”, lamentou Scheidt, dono de cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais.

Para alcançar o pódio neste sábado (14), Scheidt precisa ter um bom desempenho e ainda contar com a ajuda do vento. De acordo com as regras do Europeu de Laser, pelo menos mais uma regata deve ser completada para que os velejadores possam descartar um resultado da fase final da competição. A regra mantém o brasileiro com chances de brigar até mesmo pelo ouro, já que, com o descarte, ele pode excluir o 18º lugar. “A Comissão de Regatas tentará fazer três provas neste sábado, mas acho difícil, porque a previsão ainda é de ventos fracos. De qualquer forma, tenho que me concentrar em velejar muito bem no dia decisivo”, destacou Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

 

Classificação após seis regatas e um descarte

 

1. Tonci Stipanovic (CRO) - 13 pontos perdidos (2+4+[20]+1+5+1)

2. Rutger Van Schaardenburg (NED) - 19 pp (3+2+[21]+2+6+6)

3. Nick Thompson (GBR) - 19 pp (2+3+[7]+6+3+5)

4. Tom Burton (AUS) – 19 pp (1+8+5+[12]+2+3)

5. Robert Scheidt (BRA) - 29 pp (4+[5]+3+1+3+18)

6. Francesco Marrai (ITA) - 29 pp (4+7+2+[10]+6+10)

7. Pavlos Kontides (CYP) - 37 pp (7+1+[28]+5+1+23)

8. Giovanni Coccoluto (ITA) – 37 pp ([23]+5+2+20+8+2)

9. Jean Baptiste Bernaz (FRA) – 39 pp (6+17+[22]+11+1+4)

10. Filip Jurisic (CRO) – 41 pp (13+1+[39]+1+14+12)

Por Antonio Alonso às 20h02

Longe de Scheidt, Bruno Fontes lidera nos EUA

O catarinense Bruno Fontes escolheu não competir o Campeonato Europeu, na Croácia, onde está Robert Scheidt, e partiu para a Califórnia. Bruno Fontes estreou ontem liderando o Laser North American Championship. 

Velejador brasileiro venceu duas regatas nessa quinta-feira (12) terminando o primeiro dia na ponta da etapa americana do circuito mundial de vela

Embalado pela boa estreia do Brasil na Copa do Mundo, o velejador Bruno Fontes começou muito bem o Laser North American Championship – etapa americana do circuito mundial de vela. Disputado no Alamitos Bay Yacht Club, o brasileiro somou dois primeiros e um terceiro lugar nas três regatas deste primeiro dia e com apenas cinco pontos perdidos lidera a competição.

Com boas condições de vento, variando entre 15 e 19 nós (aproximadamente 30km/h) Bruno travou um duelo acirrado com o americano Charles Buckingham. “A disputa começou muito boa. Consegui realizar três boas regatas, mas o pessoal que vem logo atrás é muito forte. Temos ótimos atletas aqui e a flotilha é muito qualificada, o que exige de nós máxima atenção durante os próximos dias”, afirma Bruno Fontes.

Estão previstas ainda as disputas de mais nove regatas, sendo três em cada dia. As condições para a sexta-feira são bem promissoras, com rajadas de vento parecidas com as dessa quinta-feira, o que torna ainda mais competitiva a disputa na flotilha.

“O campeonato aqui em Long Beach é de “tiro curto” e cada detalhe é fundamental para conseguir um bom resultado. Meu objetivo aqui é fazer uma grande campanha e brigar pelo título, mas para isso é preciso muita atenção, pois um descuido pode ser primordial para as nossas pretensões na competição”, encerra Bruno.

O Laser North American Championship acontece em Long Beach, Califórnia, no Alamitos Bay Yacht Clube, com com mais de setenta atletas na flotilha. As disputas seguem até o próximo domingo, sempre com três regatas por dia.

O velejador Bruno Fontes tem os patrocínios da Unimed, CBVela, Marinha do Brasil, Governo do Estado do Paraná e AGE do Brasil e conta com o apoio do do COB – Comitê Olímpico Brasileiro.

Classificação após três regatas:

1º Bruno Fontes (BRA) – 5pp

2º Charles Buckingham (EUA) – 6pp

3º Tom Ramshaw (CAN) – 8pp

4º Andrew Lewis (TRI) – 16pp

5º Chris Bernard (EUA) – 18pp

6º Stefano Peschiera (PER) – 19pp

7º Matheus Dellagnelo (BRA) – 24pp

8º Erik Bowers (EUA) – 25pp

9º Frederick Vranizan (EUA) – 27pp

10º Guillermo Flaquer (DOM) – 34pp

Por Antonio Alonso às 11h04

11/06/2014

Na véspera da Copa, Scheidt passa croata no Europeu de Laser

Brasileiro assume a liderança, com apenas um ponto de vantagem sobre o croata após o descarte; ambos venceram uma regata nesta quarta-feira (11) 

Fotos: Foto: Thom Touw 

Da Local da Comunicação – O encerramento da fase classificatória do Europeu de Laser, em Split, Croácia, deixou a competição ainda mais equilibrada. Favoritos ao título, Robert Scheidt e o anfitrião Tonci Stipanovic voltaram a protagonizar o duelo Brasil x Croácia, que também marcará a abertura da Copa do Mundo nesta quinta-feira (12), depois de ambos obterem uma vitória nas regatas desta quarta. Líder do ranking mundial da classe, o brasileiro assumiu a liderança do campeonato, com apenas um ponto de vantagem sobre o croata. A situação repete, de maneira inversa, a disputa entre os dois no ano passado, quando Stipanovic venceu Scheidt na mesma competição, na Irlanda, por apenas um ponto.

“O vento mais forte, entre 10 e 12 nós, facilitou a velejada, tanto que os principais competidores também fizeram bons resultados e estão de volta aos primeiros lugares na classificação, e bem próximos na pontuação. Vou para a fase final sem grande vantagem. Nada está resolvido”, observou Scheidt, dono de cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais, entre Laser e Star. “O ponto negativo é que, com a obrigatoriedade de descartar um resultado na primeira fase, tive que tirar o quinto lugar, enquanto outros velejadores descartaram resultados bem piores. Terei que ser o mais regular possível na próxima fase”.

No Europeu de Laser, os velejadores podem descartar os dois piores resultados, mas apenas um em cada etapa. A fase final da competição, em Split, tem outras sete regatas previstas até sábado (14). As três flotilhas da Laser, com um total de 132 competidores, serão reagrupadas em ouro, para quem segue na disputa pelo pódio, prata e bronze. “A competição vai ficar muito mais dura a partir de agora, com resultados bem díspares. Além do Tonci, que é naturalmente um dos favoritos, há muitos outros caras bons, com chance de vencer. Ficar entre os dez primeiros nas regatas, daqui por diante, já pode ser considerado um bom desempenho”, destacou Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

 

Classificação após cinco regatas e um descarte

1. Robert Scheidt (BRA) - 11 pontos perdidos (4+[5]+3+1+3)

2. Tonci Stipanovic (CRO) - 12 pp (2+4+[20]+1+5)

3. Rutger Van Schaardenburg (NED) - 13 pp (3+2+[21]+2+6)

4. Pavlos Kontides (CYP) - 14 pp (7+1+[28]+5+1)

5. Nick Thompson (GBR) - 14 pp (2+3+[7]+6+3)

6. Tom Burton (AUS) - 17 pp (1+9+5+[12]+2)

7. Francesco Marrai (ITA) – 19 pp (4+7+2+[10]+6)

8. Jesper Stalheim (SWE) – 20 pp (4+7+[24]+2+7)

9. Roelof Bouwmeester (NED) – 23 pp (11+[18]+7+3+2)

10. Ryan Palk (AUS) – 24 pp (9+8+[12]+3+4)

Por Antonio Alonso às 18h07

Refeno agora terá "desfile" em Boa Viagem

A Diretoria da Refeno anunciou mudanças no percurso para este ano. A princípio, pode parecer que pouca coisa muda, porque os barcos continuam saindo do Marco Zero, mas agora farão um bordo e um "desfile" em frente à praia de Boa Viagem. Na prática, isso transforma bastante a regata, que costumeiramente é uma grande disputa de velocidade, em bordo único, entre Recife e Noronha. A regata agora fica mais longa e os recordes históricos ficam muito mais difíceis de quebrar.

Do Cabanga: A diretoria da XXVI Regata Recife Fernando de Noronha (Refeno) anunciou, recentemente, que a maior regata oceânica do Brasil terá um novo percurso a partir da edição deste ano. Após a largada no Marco Zero do Recife, programada para o dia 27 de setembro, ao invés de seguir direto para o Arquipélago Fernando de Noronha, as embarcações passarão em frente a praia de Boa Viagem nas imediações do Edifício Acaiaca.

O novo percurso, que exigira um bordo para o sul, vai acrescentar algumas milhas no percurso e um novo recorde não deverá ser estabelecido nesta edição.

“A mudança vem atender uma solicitação de patrocinadores e de espectadores que irão ter um belo visual ao mesmo tempo em que estiverem curtindo a mais bela praia do Recife”, justificou o Comodoro do Cabanga Iate Clube de Pernambuco e coordenador geral da Refeno, Marcos Medeiros.

Por Antonio Alonso às 11h55

Scheidt começa quarta-feira na vice-liderança do Europeu de Laser

Maior atleta olímpico brasileiro fez um terceiro lugar na única regata desta terça-feira em Split, na Croácia 

Da Local da Comunicação – Um ano depois de disputarem metro a metro o título do Europeu de Laser, Robert Scheidt e Tonci Stipanovic voltam a se enfrentar na competição, em Split, Croácia, com o status de favoritos. E se a última edição do torneio, na Irlanda, teve o croata como vencedor por apenas um ponto de diferença, a vantagem agora é do brasileiro, no duelo entre países que marcará também a abertura da Copa do Mundo de futebol 2014. Novo líder do ranking mundial da classe, Scheidt foi o terceiro colocado na única regata disputada nesta terça-feira (10) e assumiu a vice-liderança, com 12 pontos perdidos, mesma pontuação do líder, o inglês Nick Thompson. Stipanovic, que veleja em casa, caiu para a 13ª posição, com 26 pontos perdidos.

O Europeu de Laser tem 132 velejadores distribuídos em três flotilhas. Nesta terça-feira, as flotilhas foram reagrupadas, e Scheidt disputou a regata com Nick Thompson, o australiano Tom Burton, vencedor das duas últimas etapas da Copa do Mundo de Vela, e o alemão Philipp Buhl, no grupo azul. O croata Tonci Stipanovic segue na flotilha vermelha.

“Tivemos um dia com ventos ainda mais fracos do que na segunda-feira, e por isso apenas uma regata foi completada. Nessas condições, todos os favoritos apresentaram muitos altos e baixos nos resultados. Era muito fácil errar e ficar do lado contrário ao vento, mas eu consegui o terceiro lugar e subi bastante na classificação geral”, observou Scheidt, dono de cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais, entre Laser e Star. O brasileiro começou a disputa, na segunda-feira, na 11ª posição.

A competição em Split tem mais nove regatas até sábado (14), divididas entre as fases classificatória e final. Os velejadores podem descartar os dois piores resultados, um em cada etapa. “A comissão de regatas tentará organizar três regatas nesta quarta-feira, mas a previsão é de ventos fracos, novamente”, avisou Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

Classificação após três regatas

1. Nick Thompson (GBR) - 12 pontos perdidos (2+3+7)

2. Robert Scheidt (BRA) - 12 pp (4+5+3)

3. Francesco Marrai (ITA) – 13 pp (4+7+2)

4. Tom Burton (AUS) - 14 pp (1+8+5)

5. Andy Maloney (NZL) - 19 pp (3+4+12)

6. Jonasz Stelmaszyk (POL) – 20 pp (9+9+2)

7. Mitchell Kennedy (AUS) - 20 pp (3+4+13)

8. Jesus Rogel Sanchez (ESP) – 23 pp (6+16+1)

9. Mike Bullot (NZL) – 23 pp (5+10+8)

10. Colin Cheng (SIN) – 24 pp (22+1+1)

 

Campanha de Robert Scheidt em 2014 

 

Ouro na Copa Brasil - Niterói (BRA), janeiro/14 

Prata na etapa de Miami Copa do Mundo de Vela - Miami (USA), fevereiro/14 

9º na etapa de Palma de Mallorca da Copa do Mundo de Vela - Palma de Mallorca (ESP), abril/14 

4º na etapa de Hyères da Copa do Mundo de Vela – Hyères (FRA), abril/14 

Ouro na Semana Olímpica de Garda Trentino - Garda (ITA) - maio/14 

 

Por Antonio Alonso às 10h16

09/06/2014

Scheidt estreia em 11º no Europeu de Laser

Maior atleta olímpico brasileiro foi quarto e quinto nas regatas desta segunda-feira (9), na Croácia 

Foto: Ivan Zedda/Isaf Sailing World Cup

Foto: Thom Touw

Da Local da Comunicação – Na vela, Robert Scheidt e Tonci Stipanovic anteciparam o confronto Brasil x Croácia que abrirá a Copa do Mundo de futebol 2014. Os dois são os principais destaques do Europeu de Laser, que começou nesta segunda-feira (9) em Split, Croácia, com vantagem para o anfitrião. Novo líder do ranking mundial da classe, Scheidt manteve a regularidade, fazendo um quarto e um quinto lugares, e terminou o dia em 11º geral. Velejando em casa, Stipanovic – vencedor da competição em 2013 com apenas um ponto sobre o brasileiro – terminou em terceiro lugar. O líder é o holandês Rutger Van Schaardenburg.

O Europeu de Laser conta com 132 velejadores em Split, divididos em três flotilhas. A vermelha reuniu nesta segunda os velejadores mais fortes: além de Scheidt e de Stipanovic, os australianos Tom Burton e Mathew Wearn, o alemão Philipp Buhl e o neozelandês Sam Meech estavam na disputa.

“Foi um dia exaustivo, ficamos muito tempo na água esperando pelo vento, que foi até 8 nós (15 km/h) na segunda regata. Tive um desempenho regular, acho que poderia ter sido um pouco melhor, mas com o vento alternando muito, ficou difícil de prever a velejada. Estou satisfeito”, analisou o brasileiro, dono de cinco medalhas olímpicas (dois ouros, duas pratas e um bronze) e 14 títulos mundiais, entre Laser e Star. “Meu grupo era realmente o mais forte, mas a partir de amanhã as flotilhas serão redistribuídas de acordo com os resultados de hoje, e isso deve equilibrar mais as regata”.

A competição tem mais dez largadas previstas, duas por dia, distribuídas entre as fases classificatória e final. Os velejadores poderão descartar os dois piores resultados, um em cada etapa. “O objetivo é largar o melhor possível e me manter entre os cinco primeiros, na primeira fase, para chegar bem às finais”, lembrou Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex e Deloitte, com os apoios de Audi, COB e CBVela.

 

Campanha de Robert Scheidt em 2014 

 

Ouro na Copa Brasil - Niterói (BRA), janeiro/14

Prata na etapa de Miami Copa do Mundo de Vela - Miami (USA), fevereiro/14

9º na etapa de Palma de Mallorca da Copa do Mundo de Vela - Palma de Mallorca (ESP), abril/14

4º na etapa de Hyères da Copa do Mundo de Vela - Hyères (FRA), abril/14

Ouro na Semana Olímpica de Garda Trentino - Garda (ITA) - maio/14

Por Antonio Alonso às 16h51

08/06/2014

Massa vence duas na C30 e lidera Copa Suzuki até setembro

 

A disputa na classe C30 em Ilhabela começou com um incrível empate quíntuplo no primeiro final de semana. Este domingo e ontem, no entanto, foram dias de Marcelo Massa retomar as rédeas da classe e completar a segunda etapa da Copa Suzuki Jimny na liderança. Com a pausa para a Copa, Massa está garantido no topo até setembro, quando então acontece a terceira e penúltima etapa do Circuito Ilhabela. Take Ashauer, Kanibal, Jambock, Rudá e Chroma estão na mesma situação.

A pausa, no entanto, não significa nenhum descanso, já que a principal competição do ano, a Semana de Vela de Ilhabela, acontece nesse intervalo.



Ilhabela: Com fim da segunda etapa, Circuito de Vela entra em recesso até setembro

 

Antes, porém, barcos se enfrentam em evento internacional

Da PPress - Depois de duas etapas disputadas em quarto finais de semana, o XIV Circuito de Vela de Ilhabela - Copa Suzuki Jimny entra em recesso e volta em setembro, com a terceira e penúltima etapa do calendário 2014. Antes disso, porém, os velejadores voltam à Ilhabela para o maior evento náutico da América Latina, a Ilhabela Sailling Week 2014 que acontece de 19 a 26 de julho também no Yacht Club de Ilhabela. A etapa que terminou neste domingo no litoral norte paulista foi o último treino das equipes antes do evento internacional. "Nosso calendário é riquíssimo com disputas sempre bem acirradas, isso ajuda a manter o bom nível dos tripulantes para competições como a Semana de Vela da Ilha", diz Marcelo Bellotti, do veleiro F7/Ser Glass. 
Conhecida e reconhecida com chancela federal como a Capital Nacional da Vela, Ilhabela foi colorida neste final de semana com as velas e balões dos 39 barcos que fecharam a segunda etapa do Circuito de Vela. Com ventos fracos no início da manhã, a primeira largada só ocorreu por volta das duas horas da tarde. Quando os ventos chegaram, vieram de oeste e logo depois da largada paralisaram novamente. Voltaram soprar meia hora depois e uma regata foi realizada. "Esse esporte é assim, quem manda é a natureza", brinca Juan Mendez, tripulante do veleiro Rudá. 
Após as regatas desse fim de semana o veleiro CA Technologies pode comemorar a liderança na classe C30, ao menos até setembro. A equipe de Marcelo Massa abriu quatro pontos de vantagem sobre o adversário Caballo Loco ao vencer as regatas realizadas no sábado e domingo. "Não é fácil, todos os barcos chegaram aqui empatados com seis pontos", comenta o comandante. Os resultados já consideram o descarte do pior tempo. Quem também comemorou foram os tripulantes do Take Ashauer, da classe HPE. Eles quebraram a hegemonia do veleiro Ginga ao vencerem a regata do dia e assumir a ponta da tabela. Ambos estão empatados com onze pontos, porém, o vencedor da última regata tem a vantagem. "Vamos comemorar, mas só até setembro, sei que eles e os outros da classe são muito fortes e competitivos e nada está fechado ainda", diz o comandante Marcos Ashauer. Hegemonia garantida também para o Rudá que mantém o primeiro lugar desde o início da temporada e agora acumula 4 pontos. 
Na classe Star, convidada do evento, André Diometti do veleiro Pudim de Cana é o lider com onze pontos, seguido em igualdade de pontuação com Cosa Nostra, de Marcelo Bellotti. A classe ORC permantece inalterada com Chorma de Luis Gustavo de Crescenzo em primeiro e Orson de Carlos Eduardo Souza e Silva, em segundo. Na classe RGS, Kanibal de Martin Bonato lidera e na RGS Cruiser o Jambock de Marco Aleixo. 
O Circuito de Vela de Ilhabela é uma realização do Yacht Club de Ilhabela, patrocínio master da Suzuki Veículos e também Ser Glass e F7. Apoio da Pousada BL3 Armação dos Ventos, Radio Antena 1 FM, North Sails, Revista Mariner, SailStation, Mar & Vela, Prefeitura de Ilhabela.

Confira o resultado até segunda etapa:

HPE
1- Take Ashauer (Marcos Ashauer) (3+1+4+2+1) = 11
2 - Ginga (Breno Chvaicer) (Reg 1 + Reg 2 + Reg 3) (2+2+1+4+2) = 11
3 - Bixiga (Pino Di Segni)(1+7+2+1+4) = 15
4 - Fit To Fly (Eduardo Mangabeira) (5+6+3+3+6) = 23
5 - Suzuki Bond Girl (Rique Wanderley) (4 +2+8+5+5) = 24
6 - Repeteco (Fernando Haaland) (8+3+5+7+3) = 26
7 - F7/Ser Glass (Marcelo Belloti) (10+4+8+1+10) = 33
8 - Aventura (Jose Otavio M. Vita) (9+6+10+4+8) = 37
9 - Conquest (Marco Hidalgo) (3+5+11+11+11) = 41
10 - Artemis (Mark Essle) (8+10+9+7+7) = 41
11 - Bronco (Caio Prado) (5+11+12+6+9) = 43
12 - Takra (Luiz Eduardo D'Almeida) (7+9+10+9+9) = 44
13 - Xereta (Luiz Rosenfeld) (13+11+13+13+12) = 62

RGS 
1 - Kanibal (Martin Bonato) (1+2+3+2) = 8
2 - BL3 Urca (Pedro Rodrigues) (3+1+5+1) = 10
3 - Asbar II (Sergio Klepacz) (2+3+2+3) = 10
4 - Atlantico (Enio Ferreira) (5+5+6+6)= 22
5 - Suduca (Marcelo Claro) (4+ DNC + DNC+5) = 24
4 - Xiliky (Fabio Cantanhede) (6+4+7+7) = 24
7 - Jazz (John Jansen) (DNC + DNC + 4+4) = 24
6 - Anequim (Paulo F. Moura) (4+DNF+ DNC+DNC) = 31

RGS Cruiser
1 - Jambock (Marco Aleixo) (1+1+3+2) = 7
2 - BL3 Wind Nautica (Clauberto Andrade) (2+2+4+1) = 9
3 - Boccalupo (Claudio Melaragno) (4+3+1+3) = 11
4 - Cocoon (Luiz Marcelo Caggiano) (3+4+2+4) = 13

IRC
1 - Rudá (Mario Martinez) (1+1+1+1) = 4
2 - Orson (Carlos E. S. Silva) (2+2+2+2) = 8
3 - Mussulo III (Jose Guilherme M. P. Caldas) (3+3+3+3) = 11

C30
1 - C A Technologies (Marcelo Massa) (1+3+1+1) = 6
2 - Caballo Loco (Mauro Dottori) (2+4+2+2) = 10 
3 - Caiçara Porsche (Marcos de Oliveira Cesar) (4+2+1+4) = 11
4 - Realizado (José Luiz Apud) (1+5+2+3) = 12
5 - Barracuda (Humberto Diniz) (3+3+4+3) = 12

ORC
1 - Chroma (Luis Gustavo de Crescenzo) (2+1+1+1) = 5
2 - Orson (Carlos Eduardo Souza e Silva) (1+2+2+2) = 7

STAR
1 - Pudim de Cana (André Diometti) (5+2+3+1)=11
2 - Cosa Nostra (Marcelo Bellotti) (5+1+2+3) = 11
3 - Miisca (Alessandro Pascolato) (1+1+5+5)=12
4 - Clementina (Marcelo Fuchs) (5+5+2+1)=13

Por Antonio Alonso às 19h47

Copa Suzuki: Massa tem pequena vantagem

O uma vez todo poderoso Marcelo Massa voltou a liderar a classe C30 em Ilhabela, mas dessa vez ele chega ao último dia com uma pequena vantagem em relação aos adversários (a todos eles). Vale a pena ficar de olho nessa classe C30 este ano!

Foto: Marcos Mendez

Pequena diferença na pontuação mostra competitividade das classes

Da PPress - Longe dos jogos amistosos que tomaram conta, neste sábado, de vários estados brasileiros, cerca de 400 velejadores se concentraram em Ilhabela para participar do XIV Circuito de Vela de Ilhabela - Copa Suzuki Jimny e contabilizar mais pontos para a disputa que só termina em dezembro. Essa é a última fase da segunda etapa da competição náutica. "Esse circuito é importante para vermos como o barco está medindo e o entrosamento dos tripulantes para a Semana Internacional de Vela que acontecerá em julho, por isso nosso foco está na vela, depois vemos o que aconteceu em outros esportes", comenta Marcelo Massa, comandante do veleiro C A Technologies. A estratégia deu certo, já que o veleiro que vinha empatado com todos os outros da classe com seis pontos, abriu mais quatro de vantagem e agora tem apenas os tripulantes do Caballo Loco com a mesma pontuação. No critério de desempate é o último a vencer, assim, Marcelo leva a liderança. "Amanhã tem mais e vamos buscar o primeiro lugar, mas hoje foi um bom dia, apesar dos ventos fracos", avalia Mauro Dottori.

Os ventos sopraram timidamente com média de 6 nós, cerca de 11km/h, mas os competidores fizeram o tempo render para mudar a ordem na tabela de classificação, ou ao menos, reduzir a diferença para o líder. Foi o que aconteceu na classe HPE entre o líder Ginga e o vice Take Ashauer que apesar de manterem a mesma posição, agora tem apenas um ponto de diferença. Separados por um ponto também estão os veleiros Kanibal, de Martin Bonato e Asbar II de Sergio Klepacz, da classe RGS e ainda, Chroma de Luis Gustavo de Crescenzo e Orson de Carlos Eduardo Souza e Silva, da ORC. Entre os competidores da ORC Cruiser, Jambock de Marco Aleixo fez um terceiro lugar, mas ainda é o líder. O veleiro BL3 cedeu a vice-liderança para Cláudio Melaragno e os velejadores do Boccalupo, mas apenas no desempate, porque ambos contabilizam oito pontos. 

A segunda etapa do Circuito de Vela de Ilhabela termina amanhã, 08 de junho e é uma realização do Yacht Club de Ilhabela, patrocínio master da Suzuki Veículos e também Ser Glass e F7. Apoio da Pousada BL3 Armação dos Ventos, Radio Antena 1 FM, North Sails, Revista Mariner, SailStation, Mar & Vela, Prefeitura de Ilhabela.

HPE
1 - Ginga (Breno Chvaicer) (Reg 1 + Reg 2 + Reg 3) (2+2+1+4+8) = 17
2 - Take Ashauer (Marcos Ashauer) (3+1+4+6+2) = 16
3 - Bixiga (Pino Di Segni)(1+7+7+2+1) = 18
4 - Fit To Fly (Eduardo Mangabeira) (6+5+6+3+3) = 23
5 - Suzuki Bond Girl (Rique Wanderley) (4+14 DNF +2+8+5) = 33
6 - F7/Ser Glass (Marcelo Belloti) (10+4+8+1+10) = 33
7 - Repeteco (Fernando Haaland) (11+8+3+5+7) = 34
8 - Aventura (Jose Otavio M. Vita) (9+6+12+10+4) = 29
9 - Conquest (Marco Hidalgo) (12+3+5+11+11) = 42
10 - Bronco (Caio Prado) (5+12+11+12+6) = 46
11 - Artemis (Mark Essle) (8+10+9+7+14) = 48
12 - Takra (Luiz Eduardo D'Almeida) (7+9+10+9+9) = 44
13 - Xereta (Luiz Rosenfeld) (13+11+13+13+12) = 62

RGS 
1 - Kanibal (Martin Bonato) (1+2+3) = 6
2 - Asbar II (Sergio Klepacz) (2+3+2) = 7
3 - BL3 Urca (Pedro Rodrigues) (3+1+5) = 9
4 - Atlantico (Enio Ferreira) (5+5+6)= 16
5 - Xiliky (Fabio Cantanhede) (6+4+7) = 17
6 - Suduca (Marcelo Claro) (4+ DNC + DNC) - 19
7 - Jazz (John Jansen) (DNC + DNC + 4) - 22
6 - Anequim (Paulo F. Moura) (4+DNF+ DNC) = 22

RGS Cruiser
1 - Jambock (Marco Aleixo) (1+1+3) = 5
2 - Boccalupo (Claudio Melaragno) (4+3+1) = 8
2 - BL3 Wind Nautica (Clauberto Andrade) (2+2+4) = 8
4 - Cocoon (Luiz Marcelo Caggiano) (3+4+2) = 9

IRC
1 - Rudá (Mario Martinez) (1+1+1) = 3
2 - Orson (Carlos E. S. Silva) (2+2+2) = 6
3 - Mussulo III (Jose Guilherme M. P. Caldas) (3+3+3) = 9

C30
1 - C A Technologies (Marcelo Massa) (5+1+3+1) = 10
2 - Caballo Loco (Mauro Dottori) (2+4+2+2) = 10 
3 - Caiçara Porsche (Marcos de Oliveira Cesar) (4+2+1+5) = 12
4 - Barracuda (Humberto Diniz) (3+3+4+3) = 13
5 - Realizado (José Luiz Apud) (1+5+5+4) = 15

ORC
1 - Chroma (Luis Gustavo de Crescenzo) (2+1+1) = 4
2 - Orson (Carlos Eduardo Souza e Silva) (1+2+2) = 5

Por Antonio Alonso às 08h43

05/06/2014

Tráfego de baleias é problema para treinos da Volta ao Mundo

Chineses do Dongfeng quase bate numa baleia em travessia do Atlântico

 

Os chineses do Dongfeng estão, literalmente, enfrentando condições difícieis na travessia entre os Estados Unidos e a Europa. A última da equipe de Charles Caudrelier no Atlântico Norte foi uma quase colisão com uma baleira enorme que acompanhou por um bom tempo a velejada. Tudo isso somado à falta de visibilidade e ventos de até 40 nós. "Nós tivemos a experiência mais assustadora até agora quando chegamos perto de bater numa baleia. Estava tão perto que pudemos ouvir sua respiração. Eu só segurei minha respiração e torci para escapar do perigo", disse Charles Caudrelier, comandante do barco chinês.

A tripulação conta com quatro atletas chineses, que estão em treinamento e nunca atravessaram um oceano antes. A viagem termina Lorient e tem 2.800 milhas náuticas. O Dongfeng deve chegar na região da Bretanha na próxima terça-feira (10).

Enquanto isso, a tripulação só de mulheres da Volvo Ocean Race, a SCA chegou com segurança à sua base de treinamento em Lanzarote, nas Ilhas Canárias, em 29 de maio após fazer praticamente a mesma travessia do Dongfeng, ou seja, partindo de Newport, Rhode Island. As meninas fizeram o percurso de ida e volta pelo Atlântico. Foram 7.200 milhas náuticas e 30 dias no mar.

Outro barco que tem Newport no radar é o Team Alvimedica. O veleiro de bandeiras turca e norte-americana partiu de Lisboa, em Portugal, no dia 30 de maio, fazendo o caminho inverso do Dongfeng. A bordo do Alvmedica está o neozelandês Stu Bannatyne, que dá suporte e experiência ao time mais novo da Volvo Ocean Race (todos devem ter menos de 30 anos no barco). "Nós estamos fazendo manobras a todo instante a 25 nós de vento", relatou Amory Ross, que está no time .

Os holandeses do Team Brunel, liderados por Bouwe Bekking, navegaram para casa de Lanzarote, na Espanha, para a Holanda no início de maio. A equipe completou as 2.000 milhas náuticas de qualificação, exigidas pela Volvo Ocean Race. O barco foi batizado no domingo (31) no porto de Amsterdã. Acesse o site deles.

Já o Abu Dhabi Ocean Racing tem incentivado seu time a treinar forte na academia. Os velejadores liderados por Ian Walker treinam duas vezes ao dia em Cascais, em Portugal. Na água, algumas velejadas para acertar detalhes. 

O Azzam, como é chamado o barco, também fará um 'treinão' até os Estados Unidos no final de junho .

Veja mais em http://www.volvooceanrace.com/en/news/7484_The-toughest-men-and-other-stories-Dock-talk-1.html

Por Antonio Alonso às 15h56

04/06/2014

CBVela divulga seleção para evento teste da Rio2016

Evento servirá como teste para os Jogos Olímpicos Rio 2016

Martine Grael e Kahena Kunze, 49er FX                                                                             

Fernanda Decnop, Laser Radial

Isabel Swan e Renata Decnop, do 470                                                                             

Ricardo Bimba Winicki, RS:X                                                                             

Samuel Albrecht e Georgia Rodrigues                                                                             

Fotos: Kyra Mirsky/PecciCom

Uma das novidades mais polêmicas desta campanha olímpica é o método de escolha dos atletas que irão para a Olimpíada de 2016. Os olímpicos serão escolhidos a dedo por uma comissão técnica, numa espécie de "eleição indireta". Tecnicamente, a comissão chefiada por Torben Grael está acima de qualquer questionamento. Mas o processo é, sim, questionável. Teoricamente, um atleta que tenha vencido todas as seletivas pode ser preterido por ser muito velho, muito inexperiente... ou por qualquer outro motivo decidido pela comissão técnica. Essa primeira equipe já vem anunciada assim. É um bom time.

Da Peccicom: A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) anunciou esta semana os 30 atletas que representarão o Brasil no Aquece Rio International Regatta. Robert Scheidt, Fernanda Oliveira, Martine Grael e Isabel Swan são alguns dos nomes que estarão nas águas da baía de Guanabara entre os dias 2 e 9 de agosto. O evento será realizado na Marina da Glória e vai servir como teste para os Jogos Olímpicos Rio 2016. No total, 450 velejadores, de 60 países estarão presentes, uma vez que cada país pode inscrever até dois atletas em cada uma das dez classes olímpicas.

“Vai ser o primeiro grande evento no Rio, novidade para muita gente especialmente para o pessoal de fora. Estou empolgada. Em nível olímpico, nenhum campeonato é fácil, então espero apenas que seja um bom evento”, disse Martine Grael, líder do ranking mundial da classe 49er FX e que vai velejar em casa.

Assim como nas Olimpíadas, o Aquece Rio International Regatta terá cinco raias diferentes: Ponte, Escola Naval, Flamengo, Copacabana e Niterói. Para as classes RS:X masculino e feminino, Nacra 17 misto, 49er FX e 49er estão programadas 12 regatas mais a medal race. Para o Laser Standard, Laser Radial, Finn, 470 masculino e feminino estão programadas dez regatas mais a medal race.

Quem também ficou feliz foi o catarinense Bruno Fontes: “Fiquei muito contente com a convocação da CBVela. A participação neste evento é muito importante para a preparação para os Jogos e é sempre um prazer poder representar o Brasil, ainda mais em competições tão importante quanto esta.”

“O Aquece Rio será realmente um teste para os atletas. Iremos fazer uma concentração e montar praticamente a mesma estrutura dos jogos. Temos alguns dos melhores velejadores do mundo no nosso time, além de uma galera que vem crescendo então acredito que entraremos com uma equipe bem forte”, disse Ricardo Lobato, Secretário Executivo da CBVela.

Confira abaixo a delegação brasileira:

Laser

Robert Scheidt

Bruno Fontes

 

Radial

Fernanda Decnop

Maria Cristina Boabaid

 

Finn

Jorge Zarif

Bruno Prada 

 

RS:X M

Ricardo Santos

Albert Carvalho

 

RS:X W

Patricia Freitas

Bruna Martinelli

 

470 W

Fernanda Oliveira e Ana Barbachan

Renata Decnop e Isabel Swan

 

470 M

Henrique Haddad e Bruno Bethlem

Geison Mendes e Gustavo Thiessen

 

Nacra

Samuel Albrecht e Geórgia Rodrigues

Clinio de Freitas e Claudia Swan

 

49er

Dante Bianchi e Thomas Lowbeer

Marco Grael e Gabriel Borges

 

FX

Martine Grael e Kahena Kunze

Juliana Senfft e Gabriela Nicolino

 

A CBVela tem o patrocínio do Bradesco e o apoio da Slam.

Por Antonio Alonso às 12h17

Sobre o autor

Antonio Alonso Jr é capitão amador e cobre esporte há 15 anos, com passagens pela Folha de S.Paulo e por um UOL ainda em seus primeiros anos de vida. Jornalista e formado também em Esporte teve a excêntrica ideia de se dedicar à cobertura náutica, com enfoque para a Vela. Depois de oito anos na principal revista especializada do país, estréia agora seu blog no UOL.

Sobre o blog

A Vela é o exemplo claro de que o sucesso de um esporte não se mede em medalhas. Ou pelo menos o sucesso dos esportistas não representa o sucesso do esporte. A Vela foi o esporte que mais medalhas Olímpicas deu ao Brasil. Ainda assim, é um esporte desconhecido, com enorme dificuldade de atrair público e restrito a guetos idílicos. Apenas dois clubes, com umas poucas centenas de sócios, respondem pela maior parte do sucesso olímpico nacional. Este blog não está interessado em resolver esse problema, mas em trazer mais para perto esse esporte excêntrico, complicado talvez, mas cheio de matizes empolgantes e que coloca atletas e meio-ambiente numa simbiose singular no mundo esportivo. Wake, esqui e motonáutica também devem ser assuntos frequentes por aqui. Bem-vindo a bordo.

Histórico

© 1996-2011 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.